Base de TV paga tem leve alta em um mês e Oi é a única que cresce em um ano


(Crédito: Shutterstock Angela Waye)
(Crédito: Shutterstock Angela Waye)

A Anatel divulgou hoje, 26, a base de TV por assinatura do mês de julho de 2016, com um ligeiro crescimento frente ao mês de junho, revertendo as perdas mensais registradas desde o início do ano. O país fechou o mês com 18,927 milhões de assinantes, contra 18,910 de junho.

Conforme o nosso acompanhamento anual, com base nas tabelas da própria Anatel, praticamente todas as grandes empresas continuam a perder cliente, à exceção da Oi. O grupo América Móvil (NET, Claro, Embratel) fechou o mês com um salto negaitvo de 3,15% frente ao mesmo mês de 2015, e uma base de 9,841 milhões de assinantes; a Sky/AT&T, com perda de 5,33% ou menos 302 mil assinantes frente a julho de 2015; e a Telefônica/Vivo, mesmo com a incorporação dos clientes da GVT perdeu 52,9 mil clientes frente a julho de 2015 .

A Oi, por sua vez, aumentou 3,41% a sua base, incorporando mais 40,3 mil clientes, e ficando com  um número total de 1,224 milhão de assinantes, ainda assim bem distante dos líderes.

PUBLICIDADE

 

Grupo 2015-07 2016-06 2016-07 Saldo mensal Variação mensal (%) Saldo anual Variação Anual (%)
ALGAR (CTBC TELECOM) 111.899 101.920 100.852 -1.068 -1,05 -11.047 -9,87
BLUE 158.072 135.331 125.606 -9.725 -7,19 -32.466 -20,54
CABO 49.266 50.932 51.054 122 0,24 1.788 3,63
NOSSATV 129.740 127.630 127.279 -351 -0,28 -2.461 -1,90
OI 1.183.619 1.208.831 1.224.009 15.178 1,26 40.390 3,41
Outras 396.967 355.893 330.152 -25.741 -7,23 -66.815 -16,83
COPEL 2.590 0 0 0 0,00 -2.590 -100,00
SKY/AT&T 5.670.478 5.348.283 5.368.413 20.130 0,38 -302.065 -5,33
TELECOM AMERICAS 10.161.338 9.819.879 9.841.128 21.249 0,22 -320.210 -3,15
TELEFÔNICA 1.812.075 1.762.048 1.759.106 -2.942 -0,17 -52.969 -2,92
TOTAL 19.676.044 18.910.747 18.927.599 16.852 0,09 -748.445 -3,80
Fonte: Anatel

 

 

 

Anterior Encontro traz governo, Anatel e operadoras em debate sobre o modelo no próximo dia 6
Próximos Administradores judiciais criam site sobre recuperação da Oi