Banda Larga para Todos tem meta inatingível, diz Félix


O presidente do grupo América Móvil e da Claro Participações, José Antonio Félix, considera que as metas de velocidade  pretendidas pelo governo no programa Banda Larga para Todos  são inantingíveis. “É preciso colocar os pés no chão para fazermos o que sabemos”, afirmou ele.

Ele acredita que esta velocidade poderia ser alcançada no máximo no estado de São Paulo, região que, espera, não deverá precisar de investimentos com subsídios pelo programa, tendo em vista que há muitas redes em competição no estado.

Assimetria

PUBLICIDADE

O executivo disse ainda que não teme a competição com os OTTs (operadores over de top, como o Netflix) porque a empresa, ao lançar o Now, se blindou contra estas ofertas “o Now faz tudo o que um OTT faz, com mais qualidade”, mas acha que é preciso haver tratamento isonômico entre os operadores de telecomunicações e esses prestadores de serviços. “O nosso negócio é a distribuição de conteúdo mas enfrentamos condições legais diferentes”, completou.

O presidente da Claro, Carlos Zenteno, por sua vez, acha que não há qualquer possibilidade de as operadoras de celular absorverem qualquer mudança nas alíquotas do Fistel (Fundo de Fiscalização das Telecomunicações). “O impacto no custo seria desafiador”, concluiu.

Anterior Presidente da América Móvil acha que a crise é passageira e grupo mantém investimentos
Próximos Risco de cartel em acordo de emissoras de TV aberta para a venda de canais à TV paga?