B2 Tecnologia vence licitação do chip neutro para o Internet Brasil


Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

Sem surpresa, a B2 Tecnologia (Base Telco), empresa de Recife, ganhou a licitação para fornecimento de tecnologia de eSIM Card (chip neutro) para o projeto Internet Brasil. O serviço prevê o provisionamento remoto dos dispositivos, para promover acesso gratuito à internet em banda larga móvel para alunos matriculados na educação básica da rede pública de ensino oriundos de famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) coordenou o processo de escolhas das empresas que vão oferecer o eSIM e os planos de dados. Posteriormente, será realizada a transferência de conhecimento para o MCom, o que possibilitará que o Ministério assuma posteriormente a operação do programa e o amplie,

PUBLICIDADE

Poderão ser fornecidos até 770 mil eSIM, com capacidade de mudança de operadora remotamente, que deve ser aplicada no chip do usuário logo após a solicitação da RNP. O procedimento de mudança de operadora deverá ser atendido em até 24 horas corridas a partir da solicitação da RNP em dias úteis.  Para isso, a solução ofertada deve ser homologada com as principais operadoras de telefonia móvel do Brasil, bem como o sistema de provisionamento ofertado.

A disponibilização do serviço será de acordo com a cobertura de telefonia móvel e da melhor qualidade de sinal na região, com a possibilidade de mudança sem a necessidade de troca do chip (alteração de operadora sendo feita remotamente).

Na seleção anterior, a Dry Company do Brasil Tecnologia (Sur Telecom) e a Nuh! Digital ficarão responsáveis pela entrega dos planos. Enquanto a Globetrans Logística, Transporte e Distribuição ficará responsável pela entrega dos chips.

A Base Telco está sediada no Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITEP) e tem como foco a gestão de telecomunicações, que abrange controle do uso, dos custos e dos investimentos.

O Programa Internet Brasil visa promover acesso gratuito à internet em banda larga móvel para alunos matriculados na educação básica da rede pública de ensino oriundos de famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) do Governo Federal. Estima-se um total de 22,4 milhões de alunos elegíveis que podem se beneficiar do programa, que estão distribuídos por aproximadamente 5.570 cidades brasileiras.

PUBLICIDADE
Anterior TIM ativa 4G em todas as fazendas da Citrosuco
Próximos União Europeia determina uso do USB-C em celulares, inclusive da Apple, até 2024