Anatel vai debater um “glide path”, ou uma trajetória, para a implementação da 5G pura

Leia Mais

AGU dá sinal verde para Anatel votar a favor do plano da Oi na Assembleia de credores

Leia Mais

BNDES anuncia duas linhas de financiamento sob medida para ISPs

Leia Mais

Para a Anatel, é possível antecipar a oferta do 5G em locais e cidades onde não haverá a interferência do serviço nas antenas parabólicas de TV, mas a alteração das metas de cobertura das capitais brasileiras para uma das operadoras seria uma operação muito complexa de ser aprovada.

Desse total R$ 10 bilhões vão para os cofres da União e R$ 40 bilhões serão aplicados, em sua maioria, na rede 4G para a cobertura das estradas federais e mais de nove mil localidades que ainda não tem o acesso à internet. Os compromissos serão atendidos até o ano de 2029.

O conselho diretor da Anatel aprovou hoje, 24 de setembro, o edital de venda das frequências de 700 MHz, 2,3 GH, 3,5 GHz e 26 GHz, conhecido como o leilão do 5G. E marcou a data para a realização do leilão: dia 4 de Novembro de 2021, data do último dia de mandato do presidente da Anatel, Leonardo de Morais. 

Paulo César Teixeira, da Claro, assinalou que as operadoras precisam de capacidade de investimento e de escala, para suportar o forte incremento de consumo de dados e atender o cliente.

Paulo César Teixeira, CEO da Claro no painel Telebrasil - Foto: Divulgação

Para o CEO da Claro, Paulo César Teixeira, há uma concorrência desleal e os provedores de conteúdo audiovisual atuam com “leniência”, visto que deveriam ser mais ativos para impedir a pirataria.

O presidente Jair Bolsonaro publicou hoje, 17, os dois decretos que regulamentam a rede privativa do governo e o Programa Amazônia Integrada Sustentável. Com essa iniciativa, o governo espera recolocar o leilão do 5G na pauta da Anatel, para que ele ocorra o mais rapidamente possível.

Carlos Baigorri, tido como nome certo para a presidência da Anatel, ganha uma fortíssima concorrente: a atual secretária-executiva do Mcom, Estella Dantas.

Entre os itens que foram objeto da diligência, estão informações sobre a governança da rede da Amazônia, os relatórios executivos da rede Privativa, e a desestatização da Telebras.

Crédito: Freepik

O relator, conselheiro Emmanoel Campelo, disse que ainda não é possível saber se a data de 31 de julho de 2022 para o ingresso do serviço 5G no país será adiada.