O secretário de Telecomunicações acredita que opção por plataforma aberta é quase uma saída obrigatória para o país

Segundo o CEO, Lincoln Oliveira, a operadora pretende disputar o leilão de frequência do 5G e depois compartilhar o espectro com outros ISPs, para atingir esse municípios.

“As teles têm técnica, radiofrequências, infraestrutura de acesso capazes de atender as necessidades da indústria”, diz diretora.

Para Celso Birraque, diretor de Acesso Móvel da Claro, poderá haver aumento de custo, perda de espectro e muita complexidade de coordenação a depender de como será comprada a faixa regional de 3,5 GHz.

Na comparação com igual mês do ano passado, os serviços de informação e comunicação tiveram queda de 4%

Os leilões serão virtuais e a abertura das propostas está marcada para o dia 26 de novembro

Segundo Marcelo Bechara, a assimetria com as grandes plataformas é escandalosa. “Precisamos de regras equânimes”

País só perde para China e Estados Unidos, que têm população e renda maiores. “O papel do governo e da agência reguladora é de abrir caminhos para que os brasileiros tenham acesso democrático aos conteúdos”, disse cofundador da BBL