CEO da Surf Telecom considera bizarro discutir digitalização das operadoras quando 100 milhões de brasileiros não têm banda larga fixa, 60 milhões não têm conta bancária e 40 milhões estão subempregados.

Para ele, a aprovação do PLC 79, que permite transformar as concessões de telefonia fixa em autorizações e investir o saldo das concessões em projetos de banda largar traz segurança jurídica e investimentos adicionais.

O executivo da operadora recomendou que é preciso formar mais gente para enfrentar o desafio de realizar a transformação digital na velocidade que vem sendo requerida.

Medida faz parte do pacote de iniciativas da Secretaria de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviço e Inovação do Ministério da Economia para estimular a modernização da economia, segundo o secretário Caio Megale.

A empresa decidiu expandir sua atuação para além da região serrana do Rio de Janeiro. Em maio inaugura sua sede na Grande Belo Horizonte para avançar rumo ao Sul de Minas.

Para se tornar mais competitiva, a empresa incluiu chamadas ilimitadas para qualquer operadora nos planos de R$ 40, R$ 60 e R$ 90 mensais.

A operadora, que vende capacidade para ISPs e atende o mercado corporativo, atua nos estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo e no DF.

A operadora virtual, uma MVNE, que usa a rede da TIM, expandiu sua base em 600% em 2018 e pretende chegar ao final de 2019 com 1,5 milhão de clientes e R$120 milhões de receita. Entre as MVNOs que usam sua rede estão Correios Celular, Magazine Luiza, Algar Telecom Celular e Century Link.

A integradora móvel virtual conseguiu, no ano passado, acertar seu modelo de negócios e conta com oito operadoras em sua rede com projetos sólidos

Em dezembro de 2018, o grupo, que já tem 250 mil assinantes no país, inaugurou operação triple play em FTTH em João Pessoa, na Paraiba.