{mosimage}Para as operadoras brasileiras, é necessário adotar a flexibilidade como palavra de ordem. Os desafios são muitos, e incluem principalmente meios para adaptar o desempenho das redes às demandas dos usuários.

{mosimage}Presidente da Teclan propõe mudança gradual para VoIP pois, apesar de redução de gastos, a tecnologia envolve uma nova arquitetura e altos gastos implemetares, especialmente para pequenas empresas

{mosimage}Especialista da Frost&Sullivan compara o desafio da banda larga a outras tecnologias no setor de telecomunicações. Para dar certo, a conexão rápida de internet precisa de custo compatível, disponibilidade do serviço e valor agregado líquido

{mosimage}A adoção do laptop de US$ 100, projeto criado pelo professor Nicholas Negroponte, afronta as políticas setoriais do país e a própria Constituição. Além disso, o projeto tem graves problemas técnicos e provocará efeitos nocivos.

{mosimage}O programa vai permitir uma revolução na educação e o acesso de nossas crianças ao conhecimento compartilhado. Vai estimular a indústria local, a produção do conhecimento e permitir ao país participar de um projeto global.

{mosimage}Para a advogada do Pro-Teste, os novos contratos do Serviço Telefônico Comutado Fixo (STFC) não foram suficientemente discutidos pela sociedade. A associação de defesa do consumidor entende que estes contratos não deveriam ser renovados no início de 2006, pois ainda reproduzem distorções dos tempos pós-privatização.

{mosimage}Hoje, no mundo, existem mais de 200 milhões de usuários de banda larga, em todas as suas formas, e o ritmo de crescimento dessa base não dá mostras de arrefecimento. As projeções apontam para cerca de 700 milhões, em 2008.

{mosimage}O acesso via satélite é competitivo técnica e economicamente. Hoje, o preço do transponder, por MHz, para a América Latina, está muito atraente. O principal desafio é criar uma política comercial viável.

{mosimage}O controle de um mesmo grupo por mais de uma concessionária de diferentes regiões só poderá se dar se os objetivos do PGO estiverem totalmente cumpridos, ou seja, depois de se instaurar a efetiva competição no Brasil. Antes disso, a incorporação de um a concessionária por outra conflita com o PGO.

{mosimage}As condicionantes estabelecidas no PGO, que impediam o acúmulo de concessões em regiões diferentes, podem ser flexibilizadas pela Anatel e pelo Executivo em função de dois fatores estabelecidos no cenário atual: tendência de redução do número de operadores para assegurar a viabilidade econômica dos serviços; e o fato de a competição não se dar entre concessionárias de regiões diferentes, mas entre elas e as autorizatárias.