{mosimage}O mercado brasileiro de tecnologia da informação vai crescer 15% este ano. Mas, segundo Ricardo Caldas, diretor-presidente da Telemikro, para ampliar a inovação, e manter uma evolução sustentável, é necessário contar com mais incentivos governamentais. No ano passado, entrou em vigor a Lei de Inovação, que ainda não trouxe resultados concretos. Ao que tudo indica, no entanto, vai promover a aproximação entre as universidades e o setor produtivo.  

{mosimage}A usabilidade é uma metodologia de desenvolvimento focada no usuário, ensina Gilda Machado, da BCS Informática. Seu objetivo é fornecer produtos finais que propiciem ao usuário bem-estar, saúde e conforto. Por isso, os especialistas estudam as características dos produtos; quem vai utilizá-los; o tipo de uso e outras inúmeras variáveis. A usabilidade, avisa Gilda, precisa ser uma cultura para os fabricantes.

{mosimage}Para atender a necessidades das empresas de telecom como redução de custos e oferta de novos serviços, Gilberto Magalhães, gerente de desenvolvimento de novos negócios da Sterling Commerce diz que muitas respostas podem ser encontradas nas soluções baseadas em arquitetura orientada a serviços (SOA), um caminho também promissor para diferenciação e integração da cadeia.

{mosimage}A comunicação IP é uma promessa e tanto, mas, migrar na sua direção exige um investimento inicial, cujo prazo de retorno do investimento deve ser bem analisado. E à luz, inclusive, das aplicações a serem colocadas à disposição da empresa usuária. É o que observa Thiago Lançoni, Consultor de Negócios e Tecnologia da Promon.

{mosimage}Se o governo não trabalhar logo na construção de um amplo acordo para a provação de um marco legal, os interesses contraditórios envolvidos na TVD tendem a paralisar o processo na Justiça. O alerta é do professor Marcos Dantas, do Departamento de Comunicação da PUC-Rio.

{mosimage}Ao comentar a decisão do juiz que levou ao bloqueio temporário do YouTube, a advogada Regina Vendeiro, professora de direito da tecnologia da informação, destaca a necessidade de os advogados encontrem alternativas para lidarem com as novas questões trazidas pela internet.

{mosimage}Falta demanda porque falta renda. Então, a demanda precisa ser subsidiada, por meio do Fust. Os recursos do fundo podem ser usados sem mudar a lei. O caminho proposto por Marcos Dantas, ex-secretário de planejamento do Ministério das Comunicações: alterar o conceito do STFC e criar a modalidade de comunicação multimeios.

{mosimage}{mosimage}Com a convergência tecnológica, atores tradicionalmente vinculados a um determinado setor avançam sobre outro. Com isso, os modelos de negócio das indústrias de telecomunicações, mídia & entretenimento, e tecnologia de informação estão redesenhando as suas fronteiras.

{mosimage}Para simplificar sua tarefa de julgar, a Anatel fez uma opção ilegal e inconstitucional, ou seja, pressupôs a culpa de certos agentes, os quais marcou com um estigma chamado PMS. Para o advogado Walter Ceneviva, esse conceito é inconstitcional porque viola a presunção de inocência. 

 

 

Foto: Marcelo Pereira

{mosimage}Invadir os sistemas dos "hackers" para trazer de volta os dados sigilosos furtados pode levar as vítimas para os bancos dos réus. É o que alertam os advogados Renato Opice Blum e Camila do Vale Jimene.