Ao revisitarmos a Lei Geral das Telecomunicações, especialmente no Capítulo I – Do Espectro de Radiofreqüências, reafirmamos a identificação de que gerir o tal recurso finito da União é ato muito importante. Neste artigo, José Zunga Alves de Lima e Marcus Manhães fazem uma reflexão sobre a destinação de faixas de espectro.

{mosimage}Os radiodifusores brasileiros defendem que os debates da I Conferência Nacional de Comunicação (I Confecom) “olhem para o futuro”. Sustentam ser necessário discutir, principalmente ou exclusivamente, temas como internet e banda larga, não tratando do que seria o “passado”, isto é, o atual regime de concessão e demais práticas da radiodifusão, tal como existem realmente. Neste artigo, Marcos Dantas concorda com os radiodifusores, dizendo que é preciso discutir o futuro e afirma que falar do futuro implica discutir um novo modelo político-normativo que possa dar conta dessas mudanças em todo o campo das comunicações, mudanças essas que vão fazendo da radiodifusão coisa do passado…

{mosimage}Poderemos ter em nosso continente um modelo de TV Digital único no mundo. E, para  o assessor especial da Ministra Chefa da Casa Civil, André Barbosa, esse modelo será o melhor tecnologicamente, convergente, interoperável, economicamente robusto e, acima de tudo, plural e democrático. 

As Unified Communications (UC) são uma das tecnologias que têm apresentado um crescimento bastante acelerado nos últimos anos. Neste artigo, os executivos da PromonLogicalis, Pedro Pedini e André Azzini, comentam as transformações nas telecomunicações e analisam o papel da UC nesse novo cenário.

{mosimage}A decisão sobre a terceirização nas áreas de telecomunicações e energia, no julgamento do Tribunal Superior do Trabalho, poderá converter-se na sentença da morte anunciada de milhares de empregos no Brasil, afirma Vivien Mello Suruagy, presidente do Sinstal. Neste artigo, ela aponta como solução uma fiscalização rigorosa dos serviços, junto com uma ação conjunta dos sindicatos para o cumprimento de leis trabalhistas.

{mosimage}É consenso entre os mais diversos agentes de telecomunicações no Brasil (Anatel, operadoras e indústria) que a quantidade de espectro destinada para serviços de banda larga será insuficiente para atender a demanda reprimida no país. O desafio, agora, aponta Roberto Falsarella, da Alcatel-Lucent, é acelerar o processo de liberação de faixas de espectro adicionais.

{mosimage}A banda larga pela rede elétrica (PLC) promete ser bastante promissora, mas está à mercê das definições legais e da vontade política predominante, acredita José Zunga,representante da sociedade civil no conselho consultivo da Anatel.

Sancionada no início do ano, a Lei 11.900/09, que permite ao juiz se utilizar da{mosimage} videoconferência para realizar, entre outros atos processuais, o interrogatório de presos, tem gerado opiniões divergentes. Neste artigo, Paulo Henrique da Costa, diretor da  Seal Telecom, defende a aplicação da lei e lembra que as tecnologias disponíveis garantem a confiabilidade e transparência no processo.

{mosimage}A NF-e nada mais é do que um documento digital, emitido e armazenado eletronicamente, para registrar operações de circulação de mercadorias ou de prestação de serviços. Para a especialista Francine Nonaka, o processo é muito simples e as empresas já tem no mercado ferramentas para fazer comunicação direta entre software de gestão e a Secretaria de Fazenda.

{mosimage}O gargalo banda larga sem fio se mostra como um dos principais entraves para a consolidação do Brasil entre os países desenvolvidos, na opinião de Emílio Loures, gerente de programas de tecnologia da Intel Brasil. Neste artigo, ele aborda a conexão por tecnologias sem fio como uma oportunidade para 2009 ser um divisor de águas para a internet de alta velocidade.