Auditoria diz que PT se endividou para comprar papeis da RioForte, mas não aponta os responsáveis.


A Portugal Telecom divulgou ontem (8) à noite, o relatório da auditoria feita pela PriceWaterhouseCoopers, que confirma a operação irregular feita pela operadora Portugal Telecom, para comprar papeis da empresa Rio Forte, holding de seu maior controlador o Grupo Espírito Santo. Esta operação, no valor de quase um bilhão de euros, não foi honrada pelo grupo, provocando o calote na portuguesa e afetando o processo de fusão da PT com a Oi. Mas a consultoria não esclarece a principal dúvida do mercado e, mesmo, da operadora brasileira: Zeinal Bava, o executivo que liderou o processo de aumento de capital de mais de R$ 8 bilhões, participou ou não desta operação?

A Portugal Telecom divulgou ontem (8) à noite, o relatório da auditoria feita pela PriceWaterhouseCoopers, que confirma a operação irregular feita pela operadora Portugal Telecom, para comprar papeis da empresa Rio Forte, holding de seu maior controlador o Grupo Espírito Santo (GES). Esta operação, no valor de quase um bilhão de euros, não foi honrada pelo grupo,  provocando o calote na portuguesa e afetando o processo de fusão da PT com a Oi. Mas a consultoria não esclarece a principal dúvida do mercado e, mesmo, da operadora brasileira: Zeinal Bava, o executivo que liderou o processo de aumento de capital de mais de R$ 8 bilhões, participou ou não desta operação?

Conforme o relatório, as aplicações de tesouraria da PT nas empresas do universo Espírito Santo, incluindo a aplicação de 897 milhões de euros na Rioforte, nunca foram discutidas ou aprovadas pelo conselho de administração ou pela comissão executiva da operadora de telecomunicações.

Conforme a consultoria, até julho de 2014, as aplicações no GES foram camufladas dentro da operadora portuguesa, sendo registradas como simples depósitos no BES (banco do grupo). Os relatores dizem ainda que em maio de 2014 – quando houve a transferência da Portugal Telecom para a concessionária brasileira) – a Oi passou a saber que a empresa incorporada tinha dívida de 200 milhões de euros com a RioForte no balanço.

PUBLICIDADE

Venda para Altice

Em fato relevante publicado esta semana, a Portugal Telecom SGPS, holding que participa do capital social da Oi, confirmou a realização da assembleia geral no próximo dia 12, para a analisar a venda da operadora para a francesa Altice. A venda, decidida pela Oi, irá trazer para os cofres da concessionária brasileira 7,2 bilhões de euros.

Há ainda resistências de Isabel Santos – filha do presidente de Angola, e a mulher mais rica do país – que é sócia indireta da Portugal Telecom, em manter a operação com a empresa brasileira. Esta semana também, o presidente do BSI, ligado à Angolana, saiu disparando contra o acordo.

 

 

Anterior GM dá início a parcerias comerciais para ofertas na sua plataforma de conectividade
Próximos CMVM suspende ações da PT e não gosta do resultado da auditoria, que não aponta responsáveis.