AT&T tira conselheiros e vai vender ações da América Móvil para ficar com Direct TV da América Latina


A At&T quer mesmo ficar com o mercado latino-americano da Direct TV, que no Brasil controla a Sky, segunda maior operadora de TV paga do país. No comunicado em que explicita ao mercado a compra da operadora de TV por US$ 49 bilhões, a gigante norte-americana assinala que vai tomar providências para não ter problemas com os reguladores latino-americanos.

Entre essas providências, a AT&T informa que vai retirar imediatamente os conselheiros que a representam no Conselho de Administração da América Móvil e vai vender a sua participação na operadora latina que controla no Brasil as operadoras Claro, NET e Embratel.

Conforme a empresa ” para facilitar o processo de aprovação regulatória na América Latina, a AT&T tem a intenção de desinvestir seus interesses na América Móvil. Isto inclui as 73 milhões de ações listadas publicamente e 5,7 bilhões de ações AA. Está comunicando ao Conselho de Administração da América Móvil que irá destituir imediatamente seus conselheiros, para evitar qualquer conflito de interesses”.

PUBLICIDADE

Com o anúncio de venda da AT&T, as ações da operadora mexicana caíram 4% hoje. A Direct Tv tem uma forte presença da América Latina, com 18 milhões de assinantes. No Brasil, a Sky controlada pela Direct TV tem 5,5 milhões de assinantes, ocupando o segundo lugar. E o primeiro lugar é justamente das operadoras controladas pela América Móvil (Claro e NET), que detêm 10 milhões de assinantes. A fusão da primeira operadora com a segunda, certamente causaria problemas no mercado brasileiro, onde o Cade (a agência antitruste brasileira) já tem demonstrado que não aceita este tipo de fusão. Para se antecipar, a AT&T anuncia a sua saída da rival e a retirada dos dois conselheiros que mantém na operadora mexicana.

Anterior Com antena interna, usuário às vezes terá que escolher entre ver TV ou usar o celular, reconhece Anatel.
Próximos Telefônica Vivo informa que Nextel vai pagar R$ 1 bi por sua rede. Menos do que o noticiado