Até 2025, 18% dos acessos móveis no Brasil serão 5G, prevê GSMA


A Associação Mundial das Operadoras Móveis (GSMA) divulgou hoje, 1º, um estudo contendo o retrato atual das telecomunicações na América Latina e traçando projeções até 2025. O material indica que ainda é gigantesco o abismo digital na região, com 360 milhões das pessoas (57%) conectadas por banda larga móvel, enquanto os 300 milhões restantes (43%) não tinha acesso à internet.

PUBLICIDADE

O estudo traz ainda previsões país a país. Para o Brasil, indica que até 2025 18% dos acessos móveis são em tecnologia 5G, enquanto 81% serão 4G, 15% serão 3G, e 10% ainda em 2G. A penetração do serviço móvel vai crescer de 70% atualmente para 75% até lá. E a população dona de smartphone passará de 85% para 89%.

Os números brasileiros não são dos melhores. No Chile, por exemplo, a penetração do serviço móvel será de 84% até 2025. Na Costa Rica, será de 81%. No Peru, de 76%, e na Argentina, de 79%. Vamos superar, porém, o México, que hoje tem taxa de 70% e empatar com a Colômbia.

Em termos de penetração de smartphone, vemos indícios de que os planos passados de incentivo à produção desses aparelhos surtiu efeito. Seremos o país da região número um no uso desse tipo de aparelho. A Colômbia, segundo país até lá, terá 81% de penetração

Novos usuários

O relatório da GSMA, que pode ser baixado aqui, indica que até 2025, 60 milhões de pessoas vão começar a usar serviços móveis na América Latina. Brasil e México, países mais populosos, serão os responsáveis por acrescentar mais usuários: 16 milhões e 13 milhões, respectivamente.

Pensando apenas no acesso à internet, sem contar voz, SMS etc., a conexão será maior: 80 milhões de novas pessoas passarão a se conectar à web até 2025. De novo, o Brasil será responsável pelo maior acréscimo: 24 milhões. Seguido de México, com 19 milhões.

Os dados indicam ainda que o 4G vai superar finalmente o 3G em número de acessos na região apenas neste ano de 2020, e deve atingir 67% de penetração em 2025. O 5G será 9% dos acessos da América Latina até lá. As tecnologias 3G e 2G vão sofrer forte desconexão, sendo que a 2G será apenas residual daqui a cinco anos, com menos de 4% dos acessos.

Explosão de consumo de dados

A demanda por dados vai explodir nos próximos cinco anos, prevê a GSMA. Conforme o relatório, o consumo mensal médio de 4,7 GB por mês aumentará nada menos que 5,1x, para 23,9 GB ao mês em 2025.

Este salto se dará em função do aumento do consumo de vídeo e do uso de smartphones. Novamente, o Brasil vai se destacar. Aqui, teremos 175 milhões de smartphones em uso em 2025. No México serão 92 milhões. E na Colômbia, 54 milhões.

Anterior Ancine adota nova estrutura para rever Lei do SeAC
Próximos Juiz autoriza a venda de 7 imóveis da Oi