Assespro manifesta preocupação com falta de mão de obra para TI


Divulgação
Divulgação

A Federação Assespro (Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação) lançou manifesto em defesa de políticas públicas que evitem o apagão de mão de obra no setor, que, segundo a entidade, sofre com falta de profissionais. O documento foi preparado após reunião do Conselho de Administração da Assespro, que aconteceu nesta quarta, 1.

O manifesto chega no momento em que a Federação completa 45 anos de atuação. A preocupação com a existência de mão de obra qualificada é um dos principais desafios do setor, segundo Italo Nogueira, presidente da Assespro.

PUBLICIDADE

“A crescente demanda de profissionais de TI, observada em todo o mundo ainda antes do início da pandemia, se acelerou ainda mais durante o período da pandemia de covid-19. É preciso que em meio a um ano eleitoral que se aproxima, caminhos sejam apontados e soluções propostas para que esse temido problema não ameace a atuação de nossas empresas”, diz Nogueira, em comunicado.

A preocupação tem base em dados do Banco Mundial, que apontam que a área de Tecnologia da Informação (TI) demandará cerca de 420 mil profissionais até 2024. Segundo a Assespro, o número se contrapõe à baixa quantidade de formação de mão de obra anual e desperta um alerta para o risco de um apagão de profissionais qualificados para ocupar os postos vagos.

Conforme dados da Brasscom, outra entidade do setor de TICs, o Brasil precisa de 797 mil profissionais em tecnologia até 2025. Mas, atualmente, consegue formar apenas um terço deste total.

O manifesto completo pode ser acessado aqui.

PUBLICIDADE
Anterior Para técnicos da Anatel, venda do controle da V.tal não interfere na concessão da Oi
Próximos Economia abre consulta pública para debater regras da Lei de Licitações