Ascenty vai investir R$ 1,35 bilhão e inaugurar mais data centers em 2022


Unidade da Ascenty em Valinhos - crédito: Jose Norberto Flesch/ Telesíntese
Unidade da Ascenty em Vinhedo – crédito: José Norberto Flesch/ Telesíntese

Com 18 data centers em operação no Brasil e um no Chile, a Ascenty prepara um investimento de R$ 1,35 bilhão para aumentar esse número em 2022. Foi o que disse o vice-presidente de operações da empresa, Marcos Siqueira, durante visita do TS à unidade da companhia em Vinhedo (SP).

A Ascenty já tem mais 9 data centers em construção, três deles fora do país – dois no México e outro no Chile.

PUBLICIDADE

A Ascenty teve um crescimento de 32% em 2021. Inaugurou 14 data centers em sete anos – de 2012 a 2019. Ao chegar às 19 unidades atuais, registrou um crescimento de 36% no número de espaços.

Estratégia

Por questões estratégicas, a empresa concentra as unidades do Brasil nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará. Também devido a estratégias operacionais, nem sempre os sites ficam próximos às capitais.

“Em Fortaleza, por exemplo, há o problema da alta salinidade, então nossa unidade fica a 40 km da praia”, explicou Siqueira.

Sul e Centro-Oeste também estão na mira da Ascenty para um futuro próximo com unidades da empresa nestas regiões, mas no momento a companhia finaliza a construção de seis sites no estado de São Paulo, com potências que variam de 9MW a 31MW. São três na cidade de Sumaré, cada um com 12 mil metros quadrados; dois em Hortolândia, com 21 mil metros; e mais um na capital, de 7 mil metros.

Destes nove, ao menos cinco devem entrar em operação neste ano. Os três de Sumaré e um de Hortolândia têm previsão de início operacional em 2023.

Há pouco mais de um ano, a Ascenty havia anunciado que investiria R$ 150 milhões para concluir seu projeto de enterramento de 1.080 km de rede de fibra ótica em 22 cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Expansão natural

Para o vice-presidente de operações Marcos Siqueira, a Ascenty crescer é uma necessidade natural dentro de um cenário em que o 5G será protagonista.

“À medida que tivermos velocidade de comunicação ainda maior, isso vai gerar muito mais dados. A longo prazo, sabemos que o data center será algo necessário”.

 

PUBLICIDADE
Anterior Vivo vai usar elementos da Nokia em seu núcleo de rede 5G SA
Próximos Movistar realiza cirurgia assistida de câncer de mama com 5G