Aprovada na CCJ a isenção de tributos setoriais sobre IoT


Projeto de lei tramita em caráter conclusivo, sem necessidade de passar pelo Plenário da Casa. Não havendo recurso, poderá ser mandado imediatamente para o Senado. Ontem, Leonardo de Morais, presidente da Anatel, reuniu-se com o presidente da CCJ para defender a aprovação do texto.

Foto: jeferrb por Pixabay

A Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou na manhã desta quarta-feira, 25, o projeto de lei 7.656/17. O texto isenta de Fistel, CFRP e Condecine os dispositivos de internet das coisas. A aprovação aconteceu um dia após encontro do presidente da Anatel, Leonardo de Morais, com o presidente da comissão, Felipe Francischini (PSL-PR).

A proposta já havia sido aprovada nas comissões de Finanças e Tributação e de Ciência e Tecnologia. Tramitava em regime conclusivo, ou seja, sem necessidade de passar pelo Plenário da Casa. Ainda assim, deputados podem pedir para que o seja votado por todos. Se não houver recurso com este fim, a matéria seguirá para análise do Senado Federal.

O que diz o PL

O projeto de lei, de autoria dos deputados Vitor Lippi (PSDB-SP) e Odorico Monteiro (PSB-CE), altera três artigos da Lei nº 12.715/17, reduzindo a zero o valor da Taxa de Fiscalização de Instalação (TFI), da Taxa de Fiscalização de Funcionamento (TFF) do Fundo de Fiscalização em Telecomunicações (Fistel).

PUBLICIDADE

Isenta também as operadoras de recolherem Contribuição para o Fomento da Radiodifusão Pública (CFRP) e a Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica (Condecine) incidentes sobre as estações de serviços de telecomunicações que integrem sistemas de comunicação máquina a máquina.

Anterior Finep reserva R$ 200 milhões para a Indústria 4.0
Próximos Congresso derruba seis vetos de Bolsonaro a PLC que institui autoridade de dados pessoais