Apple e Broadcom são condenadas a pagar US$ 1 bilhão por violarem patentes do WiFi


O CEO da Apple, TIM Cook, durante evento da companhia realizado no final de 2018

A Apple e a fabricante de chips Broadcom podem ter de pagar, juntas, US$ 1,1 bilhão ao Instituto de Technologia da Califórnia, instituição de ensino mais conhecida simplesmente por Caltech. A decisão se após um julgamento em tribunal com júri. Ficou decidido que a Apple terá de pagar US$ 270 milhões, enquanto a Broadcom, US$ 838 milhões. As empresas prometem recorrer, conforme a agência de notícias Reuters.

Ambas foram acusadas de violar patentes relacionadas à transmissão de dados por meio de WiFi desenvolvidas pela Caltech. A Broadcom se manifestou após o julgamento, afirmando que discorda do veredicto por enxergar no processo falhas legais e fatuais. A Apple não se manifestou. Nos autos, porém, reclamou de ser processada, uma vez que seria apenas uma cliente da Broadcom.

PUBLICIDADE

Curiosamente, na semana passada, Apple firmou um contrato de US$ 15 bilhões para a aquisição de chips da Broadcom para equipar seus futuros aparelhos. Cerca de 5% de todas as vendas da Broadcom foram destinadas à Apple no ano passado.

A Apple, por sua vez, divulgou nesta semana resultado financeiro recorde para o trimestre encerrado em dezembro, em que reportou receitas de US$ 91 bilhões (+8,9%), lucro líquido de US$ 22,2 bilhões (+11,5%) – e seus iPhones nunca venderam tanto, gerando receitas de US$ 55,9 bilhões.

PUBLICIDADE
Anterior Cresce receita da F5 Networks no primeiro trimestre fiscal
Próximos Câmara 4.0 da Saúde é lançada para integrar atendimento médico dos brasileiros