Angola Cables lança produto de atacado capaz de reduzir a latência em games


A operadora de cabos submarinos Angola Cables lançou hoje, 26, um produto de atacado para ISPs voltado ao mercado de games. Trata-se de um serviço IP cuja configuração de engenharia aponta diretamente para os maiores pontos de tráfego de gaming no mundo, selecionando automaticamente as melhores rotas entre os usuários e os provedores onde estão hospedados, seja para stream, upload e download dos games.

Segundo a empresa, o usuário final que acessar a internet do provedor signatário da tecnologia terá melhor tempo de resposta em games das plataformas de Sony, Xbox, RIOT, Valve, Tencent, Highwinds, Blizzard.

PUBLICIDADE

O IP_Gamer, como é chamado o novo serviço, permite ao provedor que confia sua internet à Angola Cables, se beneficiar de ligações estratégicas prioritárias e diretas (peering/PNI) para os principais servidores de gaming (gaming nodes) na Europa, na América do Norte e na Ásia, além de uma redução significativa de latência pela utilização da rede da Angola Cables, que para os usuários brasileiros será até 10% menor, além de uma conectividade com maior qualidade e eficiência de tráfego, segundo a empresa.

A proposta da Angola Cables é que os ISPs incorporem o IP_Gamer no seu portfolio de produtos para capitalizar as vantagens desta solução, fidelizar o consumidor final e atrair novos clientes. “Acreditamos também que este novo e inovador produto vai valorizar o mercado de Cloud Gaming, o acesso a máquinas virtuais e ainda estimular o crescimento dos e-Sports como oportunidades de renda para desenvolvedores brasileiros, influenciadores digitais e muitas outras empresas e entidades que compõem o ecossistema de jogos”, explica António Nunes, CEO Global da Angola Cables.

O desenvolvimento deste novo produto durante a pandemia de covid-19 não foi por acaso. Os engenheiros da Angola Cables identificaram um crescimento muito elevado do consumo de dados pelos servidores que atendem plataformas de games, que já apresentava números impressionantes.

“A sofisticação cada vez maior dos games, que oferecem até serviços dentro de suas plataformas que já consomem grandes volumes de dados, aponta para a necessidade de uma infraestrutura capaz de processar cada vez mais dados e com baixa latência”, observa Nunes.

O mercado de games movimentou, em todo o mundo, cerca de US$ 152.1 bilhões em 2019. Para este ano, a expectativa é chegar a um faturamento de US$ 159 bilhões em 2020, o que representa um crescimento e torno de +9,3% em relação ao ano anterior. Até 2023, estima-se que este mercado ultrapasse a cifra dos US$ 200 bilhões em receitas. Em todo o planeta, estima-se que 2,7 bilhões de pessoas sejam “gamers”, nas mais diversas categorias. A América Latina deve ter o segundo maior crescimento de Gaming no mundo, com +10,3%, e faturamento de US$ 6 bilhões, seguida pela África e Oriente Médio.

Mercados mais maduros crescerão menos, mas faturarão bem mais, como a Ásia-Pacífico, com US$ 78,4 bilhões em receitas (+9,9%), América do Norte com US$ 40 bilhões em faturamento (+8,5%) e Europa, com US$ 29,6 bilhões em 2020 (+7,8%), segundo dados da Newzoo. (Com assessoria de imprensa)

Anterior LGPD: Abrint apoia ISPs com cartilha e consultoria
Próximos Entidades setoriais cobram criação urgente da ANPD