Anatel quer investimento na MP da Refis, mas planejamento é contra


(Crédito: Shutterstock Isak55)
(Crédito: Shutterstock Isak55)

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) sugeriu, na tarde desta terça-feira,11,  que o Programa de Regularização de Débitos (PRD) Não Tributários, instituído pela Medida Provisória 780/2017 seja alterado para que após o pagamento da prestação inicial, que pode ser de 50% ou 20% do valor da dívida de acordo com o texto da MP, o valor restante seja convertido parcialmente em investimentos.  O conselheiro da Agência, Igor de Freitas, defendeu que essa alteração aumentaria a atratividade do PRD. “Para o objetivo da arrecadação e de construir infraestrutura no Brasil, seria uma medida muito positiva”, disse em audiência no Senado.

Para Igor de Freitas, a MP é importante por agilizar o recebimento de recursos cujo pagamento é protelado pelas empresas. A Anatel tem cerca de R$ 20 bilhões de créditos não tributários em processos, disse. E, em relação à infraestrutura, ainda há 2.325 municípios no país sem rede de fibra ótica, sendo que 58% deles estão nas Regiões Norte e Nordeste. E mesmo nos 2.221 municípios brasileiros que tem fibra, a velocidade média para o usuário final é baixa, apenas 5 Mbps. Isso demonstra que o acesso do usuário é realizado com tecnologia já defasada, informou.

O secretário adjunto da Secretaria de Planejamento e Assuntos Econômicos (Seplan) do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Júlio Alexandre Menezes da Silva, discordou da posição da Anatel. Ele considerou que a conversão de multas dentro do escopo da MP em investimentos pode ter um impacto fiscal negativo. Igor argumentou que o PRD anterior teve uma adesão insignificante dentro do setor de telecomunicações: duas empresas aderiram e o maior valor refinanciado chegou a R$ 80 milhões. Silva informou que estão contingenciados cerca de R$ 39,7 bilhões e a pode abrir espaço para liberação de recursos.

PUBLICIDADE

O Senador Wilder Moraes, responsável pela relatoria do parecer a ser apresentado à Comissão sobre a MP 780/2017, informou que pretende colocar em discussão o IGP-M para que as empresas que aderirem ao PRD tenham um aumento no desconto da dívida. A Medida Provisória estabelece a Selic como índice para o calculo dos juros. A senadora Margaria Salomão destacou que o texto da MP pode ser alterado para atender as características próprias de cada agência reguladora.  A leitura do parecer da MP deve ocorrer dia 8 de agosto e a votação na Comissão está prevista para ser dia 15 de agosto de 2017. (assessoria de imprensa Anatel).

Anterior Operadoras alegam cumprimento das metas rurais para ficar com 450 MHz
Próximos 99 será app de transporte usado pela Prefeitura de São Paulo