Anatel prorroga consulta sobre coleta de dados de backhaul


Anatel prorrogou para 5 de dezembro o prazo para contribuições à consulta pública nº 68, da proposta de instituição de coleta periódica do conjunto de dados referentes à infraestrutura de telecomunicações que suporta as redes de transporte (backhaul) para as prestadoras dos seguintes serviços de telecomunicações de interesse coletivo: Serviço de Comunicação Multimídia (SCM), Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC), Serviço Móvel Pessoal (SMP) e os diversos serviços de TV por Assinatura. O objetivo é de subsidiar a elaboração de políticas públicas que promovam a expansão e a melhoria da infraestrutura de telecomunicações no Brasil.

Além disso, a agência quer que essas informações cheguem aos agentes interessados (governos, empresas e cidadãos) possam ter acesso às informações em formato aberto e, assim, fomentar a participação de todos os players do mercado. Essas informações podem subsidiar também o Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações (Pert). O prazo para encerramento da consulta pública era nesta quinta-feira, 5.

A proposta de nova coleta de dados de infraestrutura apresenta como pontos fundamentais:

PUBLICIDADE
  • Identificação adequada dos pontos de abertura ou acesso aos tributários das redes de transporte de telecomunicações, visto tratar-se dos pontos a partir dos quais eventuais derivações de rede são mais facilmente construídas;
  • Identificação dos proprietários de cada trecho da rede de transporte;
  • Classificação do trecho de fibra óptica como swap ou não, de forma a clarificar a análise de situações em que o trecho pode ser coincidente entre duas ou mais prestadoras, mas não apresentar nenhuma redundância adicional, por se tratar do mesmo conjunto de fibras ópticas;
  • Informação da capacidade dos trechos, com vistas a identificar fragilidades nas redes que possam ser mitigadas por ações da Agência;
  • Abrangência: Prestadoras dos principais serviços de telecomunicações de interesse coletivo (Serviço de Comunicação Multimídia, Serviço Telefônico Fixo Comutado, Serviço Móvel Pessoal e os diversos serviços de TV por assinatura);
  • Topologia georreferenciada dos enlaces;
  • Formato do arquivo CSV, diferente do que havia sido proposto inicialmente no Requerimento de Dados que deu início ao processo.

 

Anterior STF já tem maioria contra ICMS sobre softwares, mas decisão é adiada
Próximos Abraão Balbino vai ocupar cargo de substituto no Conselho Diretor da Anatel