Anatel propõe migrar o serviço de trunking, da Nextel, para telefonia celular


A Anatel quer migrar o serviço de trunking (comunicação por rádio) para telefonia celular entendendo que os dois serviços, em função da evolução tecnológica, estão cada vez mais parecidos, porém com pesos regulatórios completamente díspares. É o que indica a nova proposta de regulamento do SME, cuja consulta pública foi aprovada nesta quinta-feira (3) pelo conselho diretor da agência.

Pela proposta, apenas as empresas com mais de 50 mil usuários poderiam migrar para a telefonia móvel, o que atingiria apenas a Nextel, que hoje detém 99% dos usuários do Serviço Móvel Especializado (SME), com aproximadamente 3,2 milhões de clientes. Às demais empresas que atuam no setor seria dada a oportunidade de migrar para os Serviços Limitados Privados e Especializado (SLP e SLE), ao final da concessão atual.

Na consulta pública será questionada à sociedade a conveniência de se extinguir o SME. Mas, a partir de agora, a Anatel deixará de fornecer autorizações, prorrogações ou renovações das existentes, conforme proposta do relator da matéria, conselheiro Marcelo Bechara.

PUBLICIDADE

Um dos argumentos usados pelo relator, além do baixo custo regulatório, é sobre a proibição de que o SME seja vendido para o usuário individual, que é a única restrição ao serviço, que não é cumprida pelas empresas. Além disso, o serviço já faz interconexão com as redes móveis existentes, o que facilitaria a migração.

Além da consulta pública por um prazo de 45 dias, a proposta também será debatida em audiência pública a ser realizada em Brasília. As frequências hoje destinadas ao SME, caso seja aprovada a proposta, seriam revertidas para a telefonia móvel.

Anterior Algar Telecom vai emitir debêntures no valor de R$ 200 milhões
Próximos Anatel começa a discutir uso de outras frequências para cumprir metas do edital de 2,5 GHz