Anatel lança cartilha sobre sincronização de sistemas TDD


A Anatel lançou a cartilha “Princípios de Sincronização de Sistemas TDD“. A intenção da agência é tirar dúvidas, esclarecer os princípios gerais, as premissas e os aspectos de coordenação de sistemas que usam a duplexação por divisão de tempo (do inglês, Time Division Duplex – TDD).

PUBLICIDADE

Um dos princípios adotados pela Agência Nacional de Telecomunicações, quanto aos aspectos técnico-regulatórios relativos à sincronização de sistemas TDD, é o de incentivar a autorregulação. As operadoras são, portanto, incentivadas a coordenarem os sistemas TDD e atuarem preventivamente para evitar impactos operacionais em suas redes e interferências prejudiciais.

Se a sincronização não for implementada, as distâncias mínimas necessárias entre redes macrocelulares não sincronizadas podem chegar a 60 km, em operações no modo cocanal, e até 14 km, ao se operar no modo canal adjacente, sem utilização de faixa de guarda.

Na cartilha divulgada pela Anatel, os parâmetros utilizados são os do LTE-Advanced TDD e do 5G NR TDD. Não foram consideradas outras interfaces de rádio IMT. “À medida que as redes evoluam e outras opções sejam viáveis, há liberdade de que as operadoras revejam a estratégia adotada conjuntamente, sempre pela ótica de minimizar interferências prejudiciais”, diz o texto do documento.

Em ato publicado no dia 29 de abril, a Anatel aprovou os requisitos técnicos e operacionais de sincronização para sistemas que usam a duplexação por divisão de tempo (do inglês, Time Division Duplex – TDD), para uso por estações do serviço móvel (SMP), comunicação multimídia (SCM), telefonia fixa (STFC) e serviço limitado (SLP).

Anterior KDDI e SoftBank escolhem Ericsson para criar rede RAN multi-operadora no Japão
Próximos Roubo de cabos de telecom afetou 6,6 milhões de clientes em 2020