Anatel já se prepara para liberar bandas Q e V para o satélite


A Anatel está preparando algumas boas notícias para o segmento de satélite, que deverão estar concluídas até o final de 2018, anunciou hoje, durante o painel Telebrasil, o conselheiro Leonardo de Morais. Entre elas, já começa a valer, a partir deste mês, o licenciamento em bloco das antenas VSAT (pequenas antenas para captar os sinais de banda larga), a revisão do preço de público pago pela renovação das posições orbitais e a destinação de mais espectro para essa tecnologia também estão em estudo.

Satelite c4 embratel star one

 

Segundo o conselheiro Leonardo Morais, a partir de agora as operadoras de satélites não precisarão mais licenciar antena por antena na Anatel, mas sim fazer licenciamento em bloco, como ocorre com os terminais celulares. Para isso, haverá um cadastro simplificado.

A agência está também estudando a revisão do preço pago pelas operadoras para a renovação da ocupação das frequências. “É um preço muito alto para o reuso da frequência”, afirmou o conselheiro. Segundo ele, a intenção é cobrar a partir da carga útil do satélite, que conduz a um preço mais justo.

PUBLICIDADE

Novas Frequências

Além disso, até o final de 2018, a agência deverá destinar as faixas de frequência de 30- 50 GHz e 40-75 GHZ – as bandas Q e V – também para a oferta de serviços via satélite.

 

Anterior Google Cloud vai atender América do Sul a partir de SP
Próximos Qualidade do serviço de telecom deverá ser medida por entidade privada