Anatel concede licença de satélite estrangeiro para o SES-17


O Conselho Diretor da Anatel aprovou ontem, 17, pedido da SES  para exploração no Brasil, pelo prazo de 15 anos, do satélite estrangeiro SES-17, ocupando a posição orbital 67º W.

O novo satélite  está previsto para ser colocado em órbita em 2021. Até lá, a empresa vai gastar cerca de US$ 500 milhões em sua construção. O satélite  geoestacionários será o maior já lançado pela empresa e vai operar em banda Ka, tendo 200 feixes direcionais de alta capacidade (HTS). O equipamento vai cobrir as Américas, de Norte a Sul, e parte do Oceano Atlântico.  

Eutelsat

Em outra decisão sobre o setor satelital, o Conselho Diretor da Anatel aprovou a solicitação de renúncia apresentada pela operadora Eutesalt para o direito de exploração do satélite estrangeiro Eutelsat 12 West B por término da sua vida útil e por haver planos de reposição na posição orbital 12,5° W.

PUBLICIDADE

No caso do pedido da Eutesalt, a área técnica sugeriu a extinção do direito de exploração concedida em 2014 por 15 anos “sem prejuízo da cobrança de eventuais débitos da empresa”. A solicitação foi aprovada também por não haver “qualquer vínculo contratual com entidades no Brasil associado ao uso da capacidade do satélite”.

Anterior Claro anuncia seleção de 91 participantes para concurso Campus Mobile
Próximos Open Banking vai facilitar acesso a crédito por ISPs, diz Tiago Aguiar, da TecBan