Anatel acelera liberação da faixa de 410 MHz


Vinicius Caram, superintendente da Anatel - divulgação
Vinicius Caram, superintendente da Anatel – divulgação

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) está acelerando o processo de liberação da faixa de 410 MHz para expansão da rede privada. O anúncio foi feito por Vinicius Caram, superintendente da agência reguladora no UTCAL Summit, nesta quarta, 30.

“Vamos interagir com o gabinete do relator Conselheiro Vicente para explicar a relevância da faixa de 410 MHz e para que ele possa avaliar a inclusão no Plano de Atribuição, Distribuição e Destinação de Radiofrequências. Quem pensa em soluções, tem que olhar para o todo, solução de todos ecossistema, espectro, equipamento, transporte e operação da rede”, afirmou Caram.

PUBLICIDADE

SLP e receitas

Caram explicou que o uso de outras faixas para SLP (Serviço Limitado Privado) está em fase de modelação/aprovação pela Anatel. A de 250 MHz já está aprovada; e as de 1.5 GHz e de 2.4 GHz estão em aprovação final, o que deve acontecer ainda neste semestre, disse. A faixa de 37/ 38 GHz depende apenas de um sistema de gestão de espectro para ser assinada, contou.

No final do ano passado, Caram disse, em evento do TS, que faltavam modelos de negócio para SLP.

Outra informação foi que, em 2030, o potencial de receitas a partir da digitalização no Brasil deverá totalizar R$ 391 bilhões, sendo R$ 153 bi relacionados ao 5G.

Gráfico informativo da Anatel apresentado durante o evento - reprodução
Gráfico informativo da Anatel apresentado durante o evento – reprodução

O superintendente da Anatel também apresentou alguns grandes números setoriais. O Brasil é o quinto maior país do mundo em consumo e redes de telecomunicações, com 340 milhões de acessos, divididos em 40 milhões em banda larga fixa, 256 milhões em telefonia móvel, 16 milhões em TV por assinatura e 28 milhões de telefonia fixa.

“Hoje temos espectro acessível e de baixo custo”, disse. E fez um apelo às prefeituras do país. “Os municípios precisam aprovar suas leis com a maior simplificação possível para beneficiar as redes de telecomunicações.”

PUBLICIDADE
Anterior IA terá marco regulatório no país
Próximos Elisa Leonel deixa a Anatel