Alta da competição torna 2022 um ano mais desafiador, diz Blink


Crédito: TV.Síntese
Crédito: TV.Síntese

A alta da competição foi o tema abordado pelo CEO da Blink, Alessandro Teixeira, durante participação no INOVAtic Sudeste desta quarta-feira, 6. Segundo ele, as grandes operadoras acordaram e estão crescendo muito forte trocando as redes legadas de cobre ou coaxial por fibra e surgiram novos provedores no mercado. “Somado a isso, o cenário macroeconômico difícil torna desafiador o crescimento em 2022”, disse.

A Blink, formada a partir da fusão de três ISPs com atuação na Grande Belo Horizonte, não vai jogar a toalha. “Nos gastamos 11 meses de negociações para concluir a integração, unificamos os processos e já temos balanço auditado sem ressalvas por uma big four. Os empreendedores resolveram se unir em 2019 em vista do aumento da competição, um grande overlap (sobreposição) de redes observado em todo o país, davam sinais de que o mercado iria se consolidar.

PUBLICIDADE

“Nossa opção foi por construir uma nova empresa, com mais musculatura e ser mais uma consolidadora, tendo acesso a um volume maior de crédito e mais barato”, disse Teixeira. Segundo ele, o objetivo de curto prazo de manter um bom posicionamento nas 13 cidades onde atuavam e, principalmente, avançar a rede para o centro de Belo Horizonte. “A operação em conjunto só foi iniciada em janeiro de 2021 e esses 18 meses foram de muito trabalho e conquistas”, disse.

Para atingir os resultados alcançados, o provedor teve que dobrar a equipe, passando para 500 colaboradores diretos, além das equipes de instalação e manutenção. “Isso tornou nossa empresa forte e muito conceituada e agora estamos numa segunda fase do projeto, com capacidade de fazer aquisições, depois de só crescer organicamente”, disse Teixeira.

Teixeira disse que já existem negócios em andamento, mas acredita que por ser um ano de eleições, 2022, pode dificultar a concretização. “É um ano pós-pandêmico, pessoas com novos hábitos, que estavam em home office voltando às empresas e nós estamos tentando entender as novas tendências”, disse.

“Quando iniciamos o projeto de fusão, em 2019, uma das metas era fibrar toda a capital mineira, em função da rede legada das grandes operadoras. Mas em dois, três anos elas resolveram isso e outros provedores se uniram o que acaba provocando o rouba monte de clientes, resultado da alta da competição”, disse o CEO da Blink. Uma estratégia que a empresa adotou foi de oferecer mais do que a conexão. “Além da conexão, a qualidade do atendimento e foco na jornada do cliente são imprescindíveis”, disse.

A Blink também investiu em um portfólio muito interessante de SVAs, como o de TV por streaming com uma grade de canais lineares, dentro do conceito de que o cliente pode assistir os canais na hore que quiser, de onde estiver. Tem ainda um SVA de saúde que foi muito usado durante a pandemia de Covid19. “Esse conjunto de serviços e mais um clube de vantagens que pode zerar a mensalidade do cliente, são que ajudam a reduzir a troca de clientes, mas a concorrência que existe aqui é semelhante a existente em São Paulos e em outras grandes capitais”, ressaltou.

ICMS

Em Minas Gerais, o governo já se ajustou à redução do ICMS para serviços essenciais, inclusive de Telecomunicações. Alessandro Teixeira disse que o caso já está nos departamentos jurídico e financeiro para análises e contas para que a Blink possa ter um posicionamento. “Isso deve ocorrer na semana que vem”, disse.

Teixeira ressaltou que o serviço de Telecomunicações é um pouco diferente de outros serviços essenciais, Isto porque, os outros serviços, como energia elétrica e combustíveis, tiveram aumentos substanciais nos últimos anos, enquanto o de telecomunicações não teve. “Pelo contrário, nós estamos entregando mais por um valor menor”, disse.

5G

A Blink está estudando as várias formas de tirar proveito do 5G e a criação de uma MVNO não está descartada. “Nós estamos estudando vários modelos e pode ser um caminho a seguir sim, mas ainda não há uma definição”, disse. Para ele, o importante é levar profissionalismo e um grau maior de qualidade ao serviço prestado.

O INOVAtic Sudeste é uma realização do Tele.Síntese e terá continuação nesta quinta-feira, 7, sempre debatendo os temas de maior interesse dos ISPs da região.

PUBLICIDADE
Anterior Vivo conecta o novo Hyundai HB20 já de fábrica
Próximos Infraestrutura de ISPs: os impasses e as vantagens da separação estrutural