Alloha quer alcançar 1,5 milhão de clientes até dezembro


Crédito: TV.Síntese
Crédito: TV.Síntese

Em um ano considerado difícil, a Alloha mantém em 2022 o foco na ampliação orgânica da rede, e quer chegar a 1,5 milhão de clientes até dezembro. Mantém também o  desenvolvimento de um portfólio único de SVA baseado nas necessidades do cliente e continua testando o modelo de rede neutra, de modo a otimizar o investimento na infraestrutura. É o que informa o Operation Partner Polo Vip e CEO da Vip Telecom, Fábio Abreu, em participação no INOVAtic Sudeste, nesta quarta-feira,6.

Abreu afirma que o objetivo da holding é passar dos quase 1,3 milhão de clientes, presente em 22 estados e 274 cidades do Brasil para 1,5 milhão até o final do ano, apesar do cenário macroeconômico adverso. “Nós já somos o terceiro provedor do país, não só em número de clientes, mas também em tamanho de backbone”, salientou.

PUBLICIDADE

Sobre o 5G, o executivo mantém o entendimento de que a nova tecnologia não vai canibalizar o setor de fibra óptica, pelo contrário, vai acelerar a instalação de última milha em cidades com até 20 mil habitantes. E caso isso não ocorra, cidades que estão previstas para receber a nova tecnologia depois de 2030, não poderão contar com a oferta da telefonia móvel. “A companhia tem plano de negócios baseado na fibra e o 5G vai trazer oportunidades, valorando ainda mais a nossa infraestrutura”, disse.

Crescimento

A Vip Telecom foi adquirida pela Alloha e 2021, lidera o polo Sudeste/Sul da marca, que inclui duas outras empresas, a Ligue, adquirida no terceiro trimestre do ano passado e que tem atuação no Paraná e Rio Grande do Sul, e a Niufibra, no litoral paulista, incorporada em janeiro deste ano. “Nós estamos trazendo toda a experiência das outras empesas do grupo, a Sumicity, Mob, acumulada desde 2017 e otimizar essa curva de aprendizado em um ano muito desafiador”, disse.

O polo Vip já tem 300 mil clientes nas 40 cidades onde atua. Segundo Abreu, a demanda criada na pandemia obrigou a antecipação de quatro, cinco anos de investimentos, o que levou a uma retração natural no cenário atual.

Ele observa que a estratégia aplicada no polo Sudeste é usar a fortaleza da marca e, em um período de um a dois anos, com a participação do primeiro empreendedor, e fazer as mudanças necessárias, como uniformização de sistemas e métodos de back office.  “Há a liberdade de gestão. Um exemplo é a política de preço de entrada do cliente diferente para Mato Grosso e na zona leste de São Paulo, onde há mais competição”, disse. Como resultado, o polo já registra  30%  de crescimento orgânico de dezembro a maio. “Respeitar a particularidade local ajuda muito no crescimento”, afirmou.

ICMS

Sobre a redução do ICMS, imposta pela Lei Complementar 194, o CEO da Vip Telecom disse que a holding está acompanhando o desdobramento nos estados. “Estamos finalizando os estudos nos estados que já outorgaram a decisão e vamos fazer os ajustes necessários”, disse.

“É um tema novo, veio à tona na semana passada e está na primeira página das discussões das executivas das empresas, mas obviamente em breve serão tomadas as decisões, que serão comunicadas simultaneamente para mais de uma operação”, completou.

O executivo ressaltou que o tema é da maior importância, porque nos últimos tempos os provedores vêm espremendo o ticket médio, seja pela alta do dólar, ou seja pela competitividade do rouba monte, mas assegura que a lei será cumprida.

O INOVAtic Sudeste é uma realização da Tele.Síntese e segue até esta quinta-feira, 7, com novos debates sobre o desenvolvimento dos ISPs nessa região.

 

PUBLICIDADE
Anterior Justiça do Rio homologa venda da Oi móvel para Vivo, Claro e TIM
Próximos Vivo conecta o novo Hyundai HB20 já de fábrica