Algar pede data para publicação de estudo para determinação do preço público


A Algar Telecom foi uma das 18 empresas que enviou dúvidas para a Comissão Especial de Licitação (CEL) do leilão de 5G. Entre seus questionamentos, está a publicação dos estudos para determinação do preço público feito pela Anatel que ainda não foi apresentada. A operadora considera que isso deva ser feito antes do leilão. No entanto, a comissão afirmou que toda a publicidade necessária para a tomada de decisões quanto à participação da licitação e elaboração de propostas de preços por parte de eventuais interessados já foi dada por meio da publicação do edital.

PUBLICIDADE

“A licitação deve ser condicionada pelo princípio da publicidade, que é caracterizado pela garantia da atuação estatal e a plena participação da sociedade na produção dos atos administrativos. No caso específico de certames licitatórios, a publicidade objetiva permitir que os interessados tenham acesso aos documentos editalícios e aos documentos instrutórios, de modo a permitir uma ampla competição pelo objeto licitado”, afirma a empresa.

Para a companhia, tornar disponíveis esses documentos permite aos interessados formularem suas propostas e participar da licitação, o que está diretamente relacionada à isonomia. “Quanto maior for a publicidade e transparência dos documentos instrutórios do procedimento de licitação, maior será a isonomia entre os interessados, mitigando restrições à competição que estejam relacionadas à assimetria de informações.”, afirma.

A operadora lembrou que no edital de licitação para radiofrequências na faixa de 700 MHz foi disponibilizado junto com a documentação o estudo para determinação do preço público, onde a Anatel se baseava na elaboração de uma metodologia de precificação para um horizonte de 15 anos.

 

 

PUBLICIDADE
Anterior Cade aprova transferência do controle da InfraCo para gestão do BTG
Próximos Accenture conclui aquisição da Experity