Além da meta: TIM vai cobrir metade de Brasília com 5G puro


Crédito: Freepick

A TIM avisou vai ativar sua 5G Standalone em 3,5 GHz em Brasília assim que houver a liberação da faixa pelo Gaispi, e cobrindo metade da cidade – mais, portanto, que a meta do edital. A tele vai ativar 100 antenas, embora por obrigação precisasse ativar apenas 39. O anúncio foi feito por Alberto Griselli, CEO, durante sua participação nesta terça, 28, no Painel Telebrasil 2022.

Griselli lembrou que isso equivale a 2 vezes e meia o mínimo regulatório exigido pelas normas do leilão. Segundo ele, com essa infraestrutura, a rede 5G em Brasília vai cobrir 50% da população da cidade. “Com isso, o cliente vai poder migrar de onde não tem o serviço disponível”, observou.

PUBLICIDADE

A ativação depende da liberação da faixa de 3,5 GHz. A Siga Antenado (EAF), entidade responsável pela limpeza do espectro, trabalha para entregar a faixa às operadoras ainda este mês.

Isso feito, o Gaispi, grupo presidido pela Anatel criado para acompanhar o cumprimento das obrigações assumidas pelos compradores da frequência, vai decidir se todos os riscos de interferência do 5G sobre TV aberta transmitida por satélite (TVRO) e serviços profissionais de satélite (FSS) foram de fato mitigados para então liberar a ativação da rede móvel pelas teles.

O CTIO da TIM, Leonardo Capdeville, já havia dado pistas de que a empresa se prepara para ir além das obrigações mínimas previstas no edital do 5G. Em lançamento de iniciativa 5G na região de Campinas (SP), ele lembrou que a companhia se preparou nos últimos “anos” para ativar a rede, e que isso poderá ser feito assim que o espectro for liberado para uso pelo Gaispi.

O Gaispi, por sua vez, vem sendo pressionado pelo governo para liberação da faixa antes de 2 de julho, data a partir da qual o calendário eleitoral proíbe a participação de políticos em inaugurações de projetos.

PUBLICIDADE
Anterior Baigorri vê estrutura fragmentada como dificuldade para a economia digital
Próximos Recuperação da Oi perto do fim: administrador entrega últimos documentos ao TJ-RJ