Agritechs apresentam soluções para aumento de produtividade no agronegócio


Quatro agritechs apresentaram no AGROtic 2021 hoje, 6, suas soluções para aumentar a produtividade no agronegócio e reduzir desperdícios. Incubadas pela Esalqtec, as empresas desenvolveram soluções que vão desde agrupamento de dados em nuvem até monitoramento da produção.

PUBLICIDADE

A2W

A ideia da agritech partiu de dois problemas advindos do crescimento do agronegócio identificados pelos seus fundadores André de Souza Moura e Wanderclay Santos. O primeiro deles é a distância entre os canais de distribuição agropecuários e seus clientes e o segundo é a dificuldade de juntar quantidades massivas de dados.

Com base nisso, a empresa desenvolveu uma solução em nuvem, a A2W Plataforma Agro. O produto oferece API de integrações, painel gestor – para acompanhar e gerir os dados – e painel de TI, para configurar as regras do negócio. Há ainda, o aplicativo do cliente, que busca resolver o relacionamento com o canal de forma simples, sem a necessidade de deslocamento do usuário. Já o aplicativo do vendedor garante que o consultor tenha uma aplicação offline em seu celular, que inclui produzir relatórios em tempo real e compartilhá-lo com seu cliente.

“A gente criou um hub de integrações, onde a gente pode pegar qualquer informação de qualquer lugar
e disponibilizar um painel web para que o produtor faça suas análises e tome suas decisões considerando todas as informações integradas”, afirmou André de Souza Moura, CEO e fundador da A2W.

Systech Feeder

A empresa desenvolveu um berçário para criações individuais de bezerros capaz de controlar os dados em tempo real de consumo de ração e o peso dos animais. O objetivo é diminuir desperdícios de ração e de leite, que é um dos produtos mais caros para criação de bezerro. Ao mesmo tempo, busca evitar que o bezerro fique doente ou passe fome, o que prolongaria sua estadia no berçário.

Esses dados são enviados para a nuvem e ficam armazenados em um aplicativo. A plataforma alerta quando há algum problema com os animais, como a falta de ração, ou quando o bezerro atinge o peso do desmame. Uma versão do produto que ainda será lançada passará a incluir também medição de quanto leite o bezerro está consumido.

Agora, a meta da Systech Feeder é diminuir os custos do berçário. Para isso, as novas versões serão de plástico, com a placa eletrônica e os cabos de baixo custo feitos com um parceiro na China. Atualmente, os berçários custam R$ 6.396 sem impostos. A empresa ainda está decidindo seu modelo de negócios, se os berçários deverão ser alugados ou vendidos.

Agromakers

Enquanto o Systech Feeder se preocupa em otimizar a criação de bezerros, o Agromakers se ocupa da gestão de água. A empresa utiliza um sensor que calcula a evapotranspiração das plantas, a fim de calcular a quantidade de água necessária para irrigá-las.

Toda a irrigação acontece por meio do sistema Irrimakers. Nele, a inteligência artificial, a partir das informações dos sensores, usa um algoritmo para prever o quanto de água a planta precisa. A partir disso, ele aciona a moto bomba e as válvulas de irrigação. O agricultor pode acompanhar tudo isso pelo aplicativo da agritech.

Além disso, a empresa faz o monitoramento do consumo de energia e o momento do dia em que ela foi gasta, pois o agronegócio possui diferentes tarifas para a água ao longo do dia. O Agromakers também monitora os equipamentos. “Os pivôs centrais, cada vez mais, são alvos de vandalismos e roubo”, justificou Leandro Fellet Lourenço, CEO da Agromakers.

Pix2Agro

O software InfoRow da Pix2Ago oferece uma solução matemática para identificação de falhas de plantio no agronegócio. Por meio de imagens obtidas por drone, o software mapeia as regiões de falha. Dessa forma, “é possível operacionalizar o replantio. Redirecionar a tua equipe de forma mecanizada ou manual”, comentou Maurício Martello, fundador e diretor comercial da Pix2Agro.

O Inforow conta com ferramentas de gestão, em que é possível extrair informações, como a porcentagem e localização das falhas. Ele também mede a qualidade do plantio utilizando o espaçamento entre as linhas da plantação. A ferramenta restitui as linhas da cana, o que poderá ser aplicado no piloto automático do trator para que a máquina não pisoteie a plantação.

Os clientes do Infofow são, principalmente, grandes produtores de cana. A solução também está em outros oito países da América Latina, como Guatemala, Equador, Peru e Chile. A empresa espera atingir a marca de 1 milhão de hectares processados neste ano.

Anterior Pandemia acelerou transformação digital no campo
Próximos Para KPMG, falta mais tecnologia da porteira para fora