AES Brasil vê no uso de diferentes fontes de energia renovável o futuro do setor


A transição energética para um modelo mais distribuído, mais eficiente, mais renovável e mais responsável é a busca da AES Brasil, empresa com atuação mundial de soluções aplicadas de energia, como ressalta o diretor de Relacionamento com Clientes da companhia, Rogério Jorge, que participou nessa quarta-feira, 9, de painel no 5X5 Tec Summit. A empresa trabalha com energia hidroelétrica, solar, eólica e com baterias e vê mais resiliência na aplicação de matrizes hibridas. “Uma fonte complementa a outra”, afirma.

“Quando chove não venta, quando venta não chove, de noite não tem sol, mas tem vento, quando não tem água é possível acumular no reservatório porque as eólicas estão funcionando, com custos marginais zero”, disse. Jorge afirma que até as termoelétricas têm uma participação importante nesse modelo.

PUBLICIDADE

Google

Segundo o executivo, por meio dessa experiência adquirida, a empresa fechou parceria global com o Google, que tem o compromisso de usar 100% de energia renovável 24X7. Ou seja, em todas as horas do dia em todo o ano. 100% do consumo da empresa precisa ser de fontes renováveis e isso não seria possível se não houver um portfólio diversificado.

A AES  Brasil, que tem participação de importante nos mercados de energia hidroelétrica,- com quatro geradoras; no mercado eólico, solar, e bateria e no mercado livre chega a 10%, -já atende a várias indústrias.  “Não basta comprar energia de uma usina de biomassa que já está há 20 anos no mercado, isso já ajuda, mas o que as empresas querem é adicionar novas fontes”, afirma.

A empresa  mantém parcerias com empresas importantes, como a Anglo Americana, empresa inglesa de mineração, que tem o compromisso de reduzir suas emissões, com a qual desenvolveu um parque eólico no interior da Bahia. Também com a Unipar, produtor de cloro soda, que depende de energia elétrica para produção, está implantando um parque eólico; assim como com o Mac Donald’s, que optou por abastecer suas lanchonetes no mercado livre de energia.

“Nós lançamos recentemente uma plataforma para migração e venda de energia de clientes que hoje estão no mercado livre”, disse Jorge. Segundo ele, por meio dessa ferramenta, os clientes podem vender ou comprar energia online, de forma simples e rápida. “Todas essas soluções que apresentamos ao longo do tempo foi com o objetivo de atender uma demanda de clientes”, ressaltou. Atualmente, a matriz energética do país é de 65% de hidroelétricas e 15% de eólica, que vem avançando rapidamente.

O evento 5×5 TEC Summit é organizado pelos portais Tele.Síntese, Convergência Digital, Mobile Time, Teletime e TI Inside, com a proposta de debater a modernização de cinco setores essenciais para a economia brasileira. O evento acontece nesta semana, diariamente, até 11 de dezembro. Amanhã, dia 10, a discussão será sobre finanças. Dia 11, se encerra com uma discussão sobre o impacto da tecnologia na indústria de entretenimento. Inscreva-se gratuitamente. As apresentações passadas, sobre os setores de governo, saúde e eletricidade já estão disponíveis.

Anterior Rodrigo Maia oficializa grupo de trabalho que vai acompanhar decisão sobre 5G no Brasil
Próximos Espectro é insumo estratégico também para a distribuição elétrica