Ações da Oi registram novo tombo


seta-vermelha-negativa-936x600As ações da Oi voltaram a sofrer nesta segunda-feira, 29. Os papeis ON da companhia recuaram 16%, para R$ 1,26, enquanto os PN caíram 8,20%, para R$ 1,23. Em 2016, as ações já caíram 47,5% e 37%, respectivamente. Nos últimos 365 dias, a desvalorização da companhia na Bovespa alcança 80%.

A perda de valor foi resultado de notícias divulgadas na noite da última sexta-feira e de hoje. Na sexta, duas agências de classificação de risco cortaram o rating de crédito atribuído à companhia. A Standard & Poor’s diminuiu a nota na escala global de BB- para B+, e de brA- para brBBB- na escala nacional, com tendência negativa – ou seja, de voltar a cortar a nota. A Fitch fez o mesmo, reviu o crédito de longo prazo na escala global de BB para B, e na escala nacional de AA- para BBB-, também com viés negativo.

O fracasso da fusão há muito tempo alvo de especulações do mercado, conforme comunicado da concessionária divulgado na semana passada, também continuou a repercutir. Sem o cogitado aporte financeiro do fundo L1, a operadora será obrigada a reestruturar suas dívidas. Segundo reporta a Bloomberg, assessores já foram contratados para orientar a companhia nesse processo. Por meio da assessoria de imprensa, a companhia diz que não comenta a informação. Segundo o último balanço financeiro, divulgado em novembro, a dívida líquida da Oi era de R$ 37,24 bilhões, e a bruta, de R$ 53,8 bilhões.

PUBLICIDADE
Anterior CE apresenta proposta para marco de partilha de dados com EUA
Próximos O que acontece com quem não mudou o aparelho de TV em Rio Verde?