Abinee apoia decisão da Anatel sobre requisitos técnicos para redes privadas


Humberto Barbato, presidente da Abinee - divulgação
Humberto Barbato, presidente da Abinee – divulgação

A Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica) divulgou nesta quinta, 30, comunicado em que demonstra seu apoio à publicação da Anatel sobre requisitos técnicos para redes privadas. A entidade parabeniza o órgão regulador pelo Ato nº 8991, de 27 de junho de 2022, que aprova as normas técnicas e operacionais para uso da faixa de 3.700 MHz a 3.800 MHz por estações de serviços terrestres de baixa potência.

Na ocasião da publicação, a Anatel também criou página reunindo todas as informações para obter licenças para redes do tipo, e publicou uma cartilha.

PUBLICIDADE

Segundo a Abinee, a liberação de faixa é de extrema importância para o uso de tecnologias 5G por redes privativas em soluções de automação industrial da chamada Indústria 4.0. “A decisão atende pleito da entidade apresentado junto à Agência por meio de estudos técnicos, reuniões, consultas públicas e webinars”, diz o comunicado.

Em reunião realizada no último dia 27 de junho com os superintendentes da Anatel Vinicius Caram e Abraão Balbino, o presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato, destacou a urgência por parte das indústrias na liberação do espectro para redes privadas. Ele reforçou também a necessidade da liberação rápida da faixa de 27,5-27,9 GHz de ondas milimétricas, que, segundo os representantes da Anatel, deve ser providenciada em breve.

Movimento

A Abinee ressalta que as redes privadas se apresentam como um recurso operacional habilitador de processos de manufatura eficientes e inteligentes do parque industrial, e as empresas do setor eletroeletrônico se movimentam para se preparar para as novas aplicações decorrentes da implementação dessa tecnologia.

A associação também destaca o trabalho da Anatel na condução e planejamento do projeto estratégico de reavaliação do modelo de gestão do espectro, priorizando as tecnologias 5G. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior 19 Estados já se posicionaram sobre novo ICMS para telecomunicações
Próximos Anatel coleta subsídios sobre Avaliação de Resultado Regulatório do Regulamento de Sanções