“A pandemia aumentou a superfície do ataque cibernético”


A crise do novo Covid-19 foi o catalizador da transformação digital nas empresas, o que trouxe como consequência maiores riscos de segurança mas também novas oportunidade de conscientização. Para Fernanda Vaqueiro, CIS da Oi, o crime cibernético não se tornou mais sofisticado durante esse período, e ele cada vez mais foca no usuário, que mantém brechas de segurança conhecidas há mais de 20 anos.

 

PUBLICIDADE
Anterior Canais digitais já respondem por 65% do atendimento da Sky
Próximos Decreto libera instalação de mini ERBs em São Paulo