A conectividade como motor do agronegócio


A conectividade vem transformando o mundo. As pessoas e as indústrias estão colaborando mais, criando soluções inovadoras que combinam áreas diferentes de especialização e derrubando modelos de negócios tradicionais. Estas transformações em cadeia estão sendo suportadas pelas redes de telecomunicações, cada vez mais modernas, com a utilização do 4G, e também agora o 5G.

O agronegócio, que corresponde a quase 1⁄4 do PIB brasileiro, possui apenas 29% das propriedades rurais conectadas, de acordo com o IBGE, e isso se mostra como um fator restritivo para a inovação e produtividade. O Brasil precisa manter a competitividade neste setor, e a conectividade habilitará a implementação de processos mais avançados de gestão e operação rural.

PUBLICIDADE

Por exemplo, sensores instalados em diversos pontos dentro de uma propriedade rural reunirão quantidade extensiva de informação, que uma vez transferidas para servidores na nuvem, serão processados por algoritmos de inteligência artificial. Os resultados municiam os produtores em processos de automatização de plantio, colheita, e até na aplicação de defensivos agrícolas – contribuindo para que tudo seja mais eficiente.

Há um movimento para que a expansão alcance mais negócios no campo, já que existe grande demanda latente. E os avanços em tecnologia IoT estão permitindo às empresas de telecomunicações o desenvolvimento de modelos de negócio para o atendimento dessas necessidades. Com a disponibilidade de tecnologia capaz de prover soluções completas para cada tipo de necessidade, as soluções baseadas no 4G apresentam características que se adequam aos desafios do agro, como vídeo em tempo real, upload de imagens de alta definição, ou download de mapas digitais em colheitadeiras. Além disso, através do roaming, a cobertura não fica restrita à fazenda, sendo por exemplo possível rastrear uma carga desde a fazenda até o seu destino final.

Uma vez endereçadas as necessidades básicas de conectividade com 4G, as aplicações poderão rapidamente avançar para se beneficiar da tecnologia 5G, trazendo uma eficiência ainda maior para o setor. E as soluções Ericsson estão preparadas para operação multi-tecnologia, bastando uma atualização de software para que haja operação simultânea nas duas tecnologias.

Sabemos que os desafios de conectar o campo são imensos. Do nosso lado, estamos empenhados na formulação de modelos de negócios alinhados com as necessidades do setor, que apesar de possuir maquinário de última geração, não possui a conexão necessária. Também trabalhamos nos aspectos regulatórios, como na defesa de um modelo de leilão de frequências não-arrecadatório, em que as contrapartidas sejam em forma de projetos estratégicos de conectividade para o país, especialmente no setor do agronegócio, vital para o nosso crescimento.

Anterior Parceria entre TIM e C6 Bank cobre agora clientes do pós-pago da operadora
Próximos CGI apoia projeto de lei que libera recursos do FUST para banda larga