99 lança serviço de viagens por motocicletas


99 lança serviço de viagens por motocicletas com 99Moto. Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação

A 99 lançou um serviço de transporte de passageiros via moto por meio do 99Moto. A plataforma está disponível para o cadastro de motociclistas parceiros. E, a partir de 11 de janeiro, os passageiros poderão acessar o serviço no próprio aplicativo da 99.

Conforme nota da companhia, a nova categoria foi pensada como uma alternativa para usuários impactados pela crise econômica, altas constantes nos combustíveis e na inflação. As viagens do 99Moto são até 30% mais baratas, ainda de acordo com a empresa.

O uso de capacete, bem como de máscara, será obrigatório. Por conta da covid-19, a recomendação é que os passageiros utilizem equipamento próprio. A 99Moto também incorpora as ferramentas de segurança já utilizadas na 99, como Monitoramento em Tempo Real via GPS, gravação de áudio, compartilhamento de rotas e um botão para ligar para a polícia. De forma periódica, os motociclistas parceiros receberão materiais com conteúdo educacional, regras de trânsito e direção defensiva. A plataforma irá transportar apenas maiores de 18 anos.

Nesse primeiro momento, a novidade estará apenas e nove cidades brasileiras: Aracaju (SE), Feira de Santana (BA), Goiânia (GO), Campo Grande (MS), João Pessoa (PB), Recife (PE), Sorocaba (SP), Sobral (CE) e Teresina (PI). No entanto, a companhia afirma que, ao longo do ano, a categoria chegará também a outras localidades do país.

“Acreditamos em um ecossistema multimodal para ajudar a construir uma mobilidade eficiente, e a moto definitivamente faz parte desse conjunto de opções de transporte”, afirma a diretora de operações e produtos da 99, Livia Pozzi.

Para ser um motociclista do 99Moto é preciso ter 19 anos de idade ou mais, carteira de habilitação definitiva contendo a observação “Exerce Atividade Remunerada” (EAR). Nos primeiros meses do serviço, a 99 cobrará uma taxa de 0,99% sobre o valor total das corridas como incentivo para que motociclistas experimentem o 99Moto.

Uber Eats deixa o Brasil

Um dia anterior ao anúncio de expansão dos serviços da 99, a Uber afirmou que irá desativar seus serviços de intermediação de entrega de comida de restaurantes. A partir de 7 de março, a plataforma Uber Eats ficará restrita a entrega de pedidos de supermercado, com a Cornershop by Uber, e de entrega de pacotes pelo Uber Flash.

O anúncio da OTT veio após o presidente Jair Bolsonaro sancionar o projeto de lei que prevê o pagamento de seguro sem franquia para os motociclistas em caso de acidentes, invalidez ou morte enquanto trabalham no aplicativo. O PL 1665/2020, de autoria do deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP), ainda estabelece que os motoristas com diagnóstico de covid-19 tenham afastamento remunerado durante 15 dias. O valor a ser recebido corresponderá à média dos últimos três pagamentos mensais do entregador.

Conforme a lei, as plataformas de delivery precisarão se comprometer com o fornecimento de máscaras e álcool em gel (ou outro material higienizante) para os trabalhadores. Além disso, deverão garantir o acesso à água potável. A lei entrou em vigor em 5 de janeiro de 2022.

Agora, a Uber afirma que alterou sua estratégia de entrega no Brasil. Além do Cornershop by Uber e do Uber Flash, a empresa pretende expandir o Uber Direct, que foca no transporte de produtos de lojas. A modalidade cresceu 15 vezes em número de viagens nos últimos doze meses. Assim como a 99, a Uber também oferece viagens para passageiros via motocicletas. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior Regra para constelação de satélites coloca operadoras do segmento em disputa na Anatel
Próximos Sumicity chega ao Litoral Norte de São Paulo como nova marca