Para Borges, demora do Congresso em aprovar novo marco de telecom joga investimentos para 2018


foto-Felipe-Canova-Andre-Borges-ETS45A demora da Câmara dos Deputados em aprovar um novo marco legal para as comunicações interfere nos planos das operadoras e adia investimentos. Conforme o secretário de comunicações do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), André Borges, sem a aprovação neste mês, o cronograma de investimento corre.

“Outubro é um mês mágico, em que as operadoras estão terminando de definir seu plano de ação para o próximo ano. Mas o cenário para o PL sair este ano do Congresso está cada vez mais difícil. Se a lei ficar para o ano que vem, os investimentos e impactos dele ficarão para 2018. É a realidade”, diz.

Apesar do chove não molha no Congresso, Borges procura contemporizar a questão. “Estou decepcionado com o trâmite do processo na Câmara? Nem um pouco. Os questionamentos que estão acontecendo ali são razoáveis, embora a gente entenda que o projeto esteja pronto e que audiências públicas tendam a se repetir, que os interlocutores são todos os mesmos”, completa. Ele participou hoje, 18, da Futurecom 2016, evento que reúne executivos do setor de telecomunicações, em São Paulo.

PUBLICIDADE
Anterior O novo plano de banda larga do MCTIC: backbone de fibra em 75% das cidades e acessos de 30 Mbps
Próximos MCTIC quer desonerar importação de equipamentos de data center