62% dos aviões comerciais não irão sofrer interferência da 5G, diz agência dos EUA


62% dos aviões comerciais não irão sofrer interferência da 5G, diz FAA. Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

A Administração Federal de Aviação (FAA) dos Estados Unidos irá permitir que 62% da frota de aviões comerciais realizem pousos em baixa visibilidade em aeroportos que contam com rede 5G na banda C. Essa porcentagem corresponde às aeronaves com altímetros que não foram vistos como problemáticos no convívio com a rede 5G.

Ontem, 18, a agência havia liberado cerca de 45% dos aviões comerciais do país para pousos de baixa visibilidade. O número foi ampliado após a FAA verificar e liberar outros três modelos de altímetros. Mesmo assim, a agência destacou que voos ainda poderão ser afetados.

PUBLICIDADE

As operadoras AT&T e Verizon deverão ativar a 5G a partir de hoje, 19. Elas decidiram não lançar a tecnologia nas áreas perto dos aeroportos, “apesar do fato que 5G já está em operação total em outros 40 países”, acrescentou a Verizon.

A agência afirma que o sinal da 5G envolve frequências e níveis de energia próximos ao do sistema de aviação. Por isso, precisará restringir a aplicação de altímetros que estejam próximos às antenas 5G. Na quinta passada, a FAA anunciou que estava avaliando quais altímetros permaneciam confiáveis e precisos com a presença da 5G. Aeronaves que não tiverem altímetros testados e aprovados para 5G pela FAA não poderão realizar pousos de baixa visibilidade onde houver a quinta geração, avisou a agência.

Ainda neste ano, a FAA estabeleceu que 50 aeroportos nos EUA serão zonas isoladas da 5G. A lista inclui um dos maiores aeroportos do país, como os internacionais de Los Angeles, Chicago e Dallas.

O lançamento da quinta geração nos Estados Unidos chegou a ser adiado duas vezes por conta dos pedidos da FAA para o atraso da entrega da tecnologia. Em novembro de 2021, uma coalização do setor de aviação enviou uma carta ao Conselho Nacional de Economia (NEC) do presidente dos EUA, Joe Biden, solicitando colaboração entre a FAA e Comissão Federal de Comunicação (FCC).

No Brasil, possíveis interferências do 5G sobre sistemas de controle aéreo também estão sob análise da Anac e da Anatel, que debatem a melhor solução técnica para evitar problemas, como antecipado pelo Tele.Síntese em novembro(Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior Associação NEO: Eleições podem travar revisão do SeAC no Congresso
Próximos Primeiros aparelhos WiFi 7 já têm data para chegar ao mercado