58% dos brasileiros vão acessar a internet este ano


A consultoria eMarketer divulgou hoje, 31, relatório sobre a penetração da internet nos países da América Latina. O estudo calcula que 347 milhões de pessoas, ou 56% da população local, terão acesso à rede este ano, uma expansão de 6,6% em relação a 2015. O crescimento será puxado pelas conexões móveis 3G e 4G, principalmente no México e no Peru, países onde o crescimento ficará acima da média. 

No Brasil, 58,2% da população terá acesso até o final do ano, mais que os 55,7% de 2015. O número, porém, será menor que o porcentual visto em Chile (71%), Argentina (68%) e Colômbia (62%). O México deve encerrar o ano beirando o 58%, mas deve crescer de forma acelerada até 2020, ultrapassando o Brasil, que terá 61,9% das pessoas conectas, pelas projeções da consultoria. Mesmo o Peru, que hoje tem 51,1%, deve passar o país nos próximos quatro anos, chegando a 66,5% da população conectada.

PUBLICIDADE

Os cálculos mostram que o Brasil ficará abaixo da média da América Latina (62,1%) em 2020. No entanto, por ter a maior população, se manterá como o país com maior quantidade de pessoas conectadas – passando das atuais 119,8 milhões para 131,1 milhões. O México será o segundo, com 87,6 milhões até lá.

Celular
A pesquisa da eMarketer coloca o Brasil no sexto lugar entre os países com maior penetração de celular na América Latina. Por aqui, 64,9% das pessoas usam o telefone móvel, menos que a média de 65,9% da região. O Chile tem a maior parcela da população com celular: 73,9%. É seguido por Argentina (71,4%), Colômbia (70%), México (69%) e Peru (66,3%). Estes números pouco devem variar até 2020.

Este ano, o crescimento previso para o mercado regional de telefonia móvel é de 2,5%. O mesmo porcentual será apresentado pelo Brasil. O Peru vai crescer 3%, e o México, 2,9%.

Quanto ao uso dos celulares inteligentes, os smartphones, o Brasil aparece como quinto colocado em penetração. Aqui, 47,9% das pessoas donas de celulares – ou 64 milhões – têm esse tipo de aparelho, pelos cálculos da consultoria. Um crescimento de 17,9% em relação a 2015. É mais que a média latino-americana, de 46,5%. Chile (60,9%), Colômbia (57,5%), México (52,4%) e Argentina (51,9%) ficam à frente do Brasil em penetração. Mas o relatório indica que o crescimento continuará. Até 2020, 63,1% dos brasileiros terão smartphone. A média na América Latina será de 61,6%.

PUBLICIDADE
Anterior Distribuição de conversor pode custar mais R$ 600 milhões para operadoras de DTH
Próximos Claro alega que cliente não sente falta de 14 canais de TV aberta em sua programação