35% das empresas no mundo proíbem qualquer trabalho por celular


Pesquisa da Gemalto mostra que empresas temem vazamento de dados. Mais da metade dos profissionais de TI acreditam, porém, que em dois anos os métodos de autenticação de identidade do funcionário e do consumidor serão os mesmos.

seguranca-celular-senha-cadeado-login-936x600 appApesar do uso cada vez mais intenso das tecnologias móveis, no ambiente corporativo o celular ainda causa preocupação e é visto como ameaça ao vazamento de informações sensíveis. Pesquisa realizada pela Gemalto, fabricante de chips e desenvolvedora de soluções de segurança, constata que 35% das companhias mundo afora simplesmente proíbem os funcionários de acessar recursos digitais (do e-mail corporativo ao banco de dados) pelo celular. Já 91% das empresas dizem que não bloqueiam completamente o acesso, mas praticam algum tipo de restrição via celular.

Para metade das empresas, a falta de segurança dos dispositivos pessoais explica os temores. A preocupação é mais bem justificada quando os funcionários de TI contam qual o tipo de identificação digital mais usada no acesso aos dados corporativos: login e senha em 66% dos casos. Apenas 37% das empresas usam autenticação de duas fases para permitir o acesso mobile a dados da empresa pelo funcionário.

A tendência, no entanto, é de adoção do celular. Para 56% dos entrevistados sua empresa permitirá o acesso a informações por smartphone e com autenticação segura em no máximo dois anos. Já 52% acreditam que as empresas vão usar métodos de autenticação de identidade iguais aos usados pelo consumidor em serviços B2C. A pesquisa coletou a opinião de 1.150 profissionais de TI, em todo o mundo, entre agosto e setembro, 100 dos quais no Brasil.

PUBLICIDADE
Anterior Sociedade civil defende autoridade independente para regular dados pessoais
Próximos Amazon lança serviço de streaming de vídeo no Brasil