ZTE investe em marca própria para celulares


No Brasil desde 2002, a fabricante chinesa ZTE decidiu investir em sua marca própria na produção de aparelhos celulares por aqui e anunciou hoje o lançamento de dois modelos em parceria com a TIM. A previsão é de que sejam vendidos, até o fim do ano, 500 mil unidades com a marca no país, indicou …

No Brasil desde 2002, a fabricante chinesa ZTE decidiu investir em sua marca própria na produção de aparelhos celulares por aqui e anunciou hoje o lançamento de dois modelos em parceria com a TIM. A previsão é de que sejam vendidos, até o fim do ano, 500 mil unidades com a marca no país, indicou o CEO da ZTE, Eliandro Avila, em coletiva de imprensa realizada na manhã de hoje, em São Paulo. Ainda assim, a empresa deve continuar a parceria com a Aiko, com quem já fabricava handsets.

O modelo ZTE-G X760 conta com tela touch screen com 2,4 polegadas, memória interna de 8 MB e funções multimídia como MP4 Player, câmera digital embutida e viva voz, além de conexão bluetooth e rádio FM.  O valor será de R$ 399 para os planos pré-pagos da TIM e sem custo no plano Tim Brasil 250. Já o modelo ZTE-A933, que custará R$ 179 nos planos pré-pagos e sem custo no plano TIM Brasil 60, tem design slim, sim card com capacidade total de memória de 8 MB, rádio FM e câmera digital embutida. Os aparelhos estarão disponíveis para o consumidor agora em outubro.

O contrato com a TIM é de exclusividade para os novos modelos, por um período não divulgado. Segundo Avila, após este prazo, ele pode ser renovado ou não. A fabricação dos aparelhos está sendo feita pela Evadin, em Manaus. De acordo com o CEO da ZTE, por enquanto ainda não há nenhuma intenção de se montar uma fábrica própria no Brasil. Por meio de parceria com a Celestica, que tem uma fábrica em Campinas (SP), a companhia produz modem 3G, com marca própria, para as operadoras Vivo e TIM.
 
Avila também afirmou na entrevista coletiva que a empresa já tem um contrato fechado com uma operadora para lançar um aparelho celular com tecnologia 3G ainda este ano.

Anterior São Paulo terá portabilidade uma semana após o previsto
Próximos PGO deve chegar ao conselho da Anatel em duas semanas