Youtube passa a exibir vídeos em SD. Netflix reduz bit rate na quinta, 26


 

O Youtube e a Netflix anunciaram que vão tomar medidas para reduzir o fluxo de dados trafegados a partir de seus servidores também no Brasil.

Conforme porta-voz do Google, o Youtube já começou hoje a exibir vídeos em resolução SD no Brasil, seguindo o que está sendo feito na Europa. A medida pretende evitar sobrecarga das redes de telecomunicações, uma vez que o isolamento social em função do Covid-19 alterou o perfil de uso, ampliando a demanda nos domicílios.

PUBLICIDADE

“Continuamos a trabalhar em estreita colaboração com governos e operadoras de rede em todo o mundo para minimizar o impacto no sistema durante essa situação sem precedentes. Na semana passada, anunciamos que estamos temporariamente exibindo os vídeos do YouTube com qualidade de definição padrão (SD) na União Europeia. Dada a natureza global dessa crise, a partir de hoje expandimos essa mudança para o mundo todo”, afirma o porta-voz.

[Atualizado em 25 de março] O Tele.Síntese identificou que os vídeos passaram a ser exibidos por padrão em SD. O usuário ainda pode ampliar a qualidade manualmente para 4K. Ou seja, a exibição, embora priorizada em resolução baixa, não é a única forma de exibição disponível na plataforma, diferentemente do que este texto dava a entender originalmente.

Netflix

A Netflix também avisa que está implementando medidas para reduzir o tráfego que gera. No sábado, 21, anunciou que iria deixar de transmitir os streams de maior qualidade dos filmes e séries na Europa. A prática será adotada também no Brasil, apurou o Tele.Síntese, até quinta-feira, 26.

Diferentemente do que fez o Youtube, que alterou a resolução dos vídeos, a Netflix ressalta que pretende reduzir em 25% a quantidade de dados trafegados graças a eliminação de certas faixas de streaming com bit rates mais altos.  Não haverá mudança de resolução. Quem assina o plano 4K continuará a ver imagens em 4K.

“Em circunstâncias normais, temos muitas (às vezes dezenas) de transmissões diferentes para um único título em cada resolução. Na Europa, nos próximos 30 dias, em cada categoria, simplesmente removemos os fluxos de largura de banda mais altos. Se você estiver particularmente interessado na qualidade do vídeo, poderá notar uma pequena queda na qualidade em cada resolução. Mas você ainda receberá a resolução de vídeo pela qual pagou”, afirma Ken Florance, vice-presidente de distribuição de conteúdo, em comunicado à imprensa.

Segundo ele, na América Latina há diferentes demandas por parte dos provedores de acesso à internet. Há quem tenha solicitado redução do fluxo de dados, há quem tenha afirmado que não haverá sobrecarga na rede. A Netflix ressalta que o mercado local é muito heterogêneo, com provedores especializados em ofertas rurais, e outros, em grandes metrópoles, com arquitetura e dimensionamento de rede distintos.

“Assim, nós vamos aliviar os provedores que oferecem o serviço em grandes áreas de quarentena imposta pelo governo, proporcionando a redução de tráfego de 25% que iniciamos na Europa. Para outras redes, seguiremos com nossos procedimentos normais – a menos que elas também passem por problemas”, conclui.

Anterior Vendas de equipamentos de informática e comunicação caem 1,6%
Próximos MP suspende prazos para órgãos públicos responderem a pedidos de informação