Yahsat contrata fornecedores de teleporto em SP


antena yahsatA operadora de satélites Yahsat, sediada nos Emirados Árabes Unidos, contratou a General Dynamics SATCOM Technologies (GD SATCOM) e a British Telecom para a instalação de gateways localizados nos arredores de São Paulo. O valor do negócio não foi revelado. 

A GD SATCOM vai fornecer duas antenas de 13 metros, que serão instaladas nos dois teleportos da BT, um localizado em Jaguariúna e outro em Hortolândia. A instalação da infraestrutura começará no primeiro trimestre de 2016. Os gateways serão usados exclusivamente para a entrega de serviços no país.

A intenção da Yahsat é cobrir 95% do território brasileiro com o satélite Al Yah 3, a partir de 2017. Serão mais de 5 mil municípios iluminados. “Este serviço permitirá o fornecimento de internet de banda larga a custos acessíveis pela primeira vez em diversas regiões do país”, diz Marcus Vilaça, CTO da empresa.

Marcio Tiago, country director daYahsat, conta que os novos gateways vão oferecer suporte técnico e operacional aos serviços oferecidos. “Serão fundamentais para garantir a qualidade e segurança esperados para o mercado brasileiro”, diz. 

O executivo explica que a empresa aposta no segmento residencial. “Esperamos conquistar 200 mil clientes”, complementa. Ele prefere não dizer com qual horizonte de tempo trabalha para formar a carteira. Outro setor de atuação será o de atacado, que reunirá as ofertas para governos, empresas e operadoras de telecomunicações. 

Tiago explica que a oferta residencial deverá ter planos de 2 Mbps a 20 Mbps. No atacado, a velocidade será muito maior. “A banda Ka pode ser muito acessível ao público que não tem, hoje, acesso a outras tecnologias de conexão à internet”, lembra ele. A empresa vai montar uma estratégia de canais para venda ao consumidor final.

O nome do produto de banda larga será YahClick. Outros serviço será o Yahlive, que é uma joint venture junto à SES para escolha seletiva de canais de TV premium. Lá fora, a empresa oferece também o YahService, voltado ao setor governamental, e o YahLink, de fornecimento de troncos IP e capacidade para backhaul, e mas estes serviços não serão vendidos no país.

A decisão de usar dois teleportos se deu para assegurar a disponibilidade do sistema. O projeto garante resiliência através do chaveamento automático entre teleportos, antes que o serviço possa ser interrompido por falha técnica ou por mau tempo, bem como por manutenções planejadas ou emergenciais no gateway primário.

Além disso, a localização dos teleportos no interior paulista, mas próximos à capital do estado, facilitarão a oferta de interconexões seguras à nuvem IP, conectividade segura às redes corporativas privadas e uma plataforma de aplicações de backhaul para as operadoras.

A Yahsat também vê outra vantagem em montar a infraestrutura no Brasil: garantir que o tráfego de dados seja mantido dentro das fronteiras, ao mesmo tempo em que reduz a latência para as comunicações IP entre os usuários finais da rede satelital da Yahsat e outros usuários dentro do território.

Anterior Serviços de telecom caem por dois meses seguidos, diz IBGE
Próximos Dentsu Aegis Network compra a Pontomobi