Wireless Mundi: governos reclamam da inflexibilidade das operadoras.


 Se as operadoras de telefonia celular querem que os governos usem mais os serviços de mensagem (SMS)  para se relacionar com seus cidadãos, elas precisam ser muito mais flexíveis em seus planos de serviços e mais atentas à qualidade dos serviços, apontaram os representantes dos governos presentes no 7 Wireless Mundi. Uma das reivindicações apresentadas …

 Se as operadoras de telefonia celular querem que os governos usem mais os serviços de mensagem (SMS)  para se relacionar com seus cidadãos, elas precisam ser muito mais flexíveis em seus planos de serviços e mais atentas à qualidade dos serviços, apontaram os representantes dos governos presentes no 7 Wireless Mundi. Uma das reivindicações apresentadas no evento é  para as operadoras criarem tarifas reversas, ou seja, permitir que o usuário pague pela mensagem recebida. "As empresas não oferecem a tarifa reversa para o poder público, mas o fazem para as instituições bancárias", reclamou Cáudio Dutra, diretor de Tecnologia da Informação da Celepar.

Ele assinalou ainda que os governos precisam negociar com cada operadora individualmente e precisam enfrentar contratos e regras  muito rígidas e distintas entre si . Os gestores públicos reclamaram também do fato de a mensagem não ser instantânea. Os diretores da Claro e Vivo presentes ao evento afirmaram que iriam internalizar as reivindicações apresentadas.  ( Da redação).

Anterior Wireless Mundi ganha portal
Próximos Claro defende planos diferenciados para a baixa renda