WiMAX ainda não foi certificado no Brasil


 Embora a oferta de serviços de banda larga sem-fio com a tecnologia WiMAX já tenha rendido debates acalorados e até mesmo disputas judicias, o problema é que os equipamentos desta tecnologia ainda não foram certificados pela Anatel, o que significa que eles não podem ser comercializados internamente. Conforme técnicos da agência, as empresas que prestam …

 Embora a oferta de serviços de banda larga sem-fio com a tecnologia WiMAX já tenha rendido debates acalorados e até mesmo disputas judicias, o problema é que os equipamentos desta tecnologia ainda não foram certificados pela Anatel, o que significa que eles não podem ser comercializados internamente.

Conforme técnicos da agência, as empresas que prestam serviço na freqüência destinada a essa tecnologia, ou estão ainda usando produtos pré-WiMAX ou conseguiram apenas licenças para testes experimentais. É o caso, por exemplo, da Embratel, que deverá iniciar a oferta de serviços banda larga sem-fio no próximo mês, mas os seus equipamentos têm apenas uma licença prévia, obtida pelo fabricante, a israelense Alvarion. A rede da carrier, que comprou licença de 3,5 GHz para todo o país, tem como integradora a Alcatel-Lucent.

Conforme os técnicos, a consulta pública sobre a certificação desses equipamentos ainda está sob análise do conselho diretor e ela irá tratar apenas do WiMAX fixo, já que, informam, o WiMAX móvel – o do padrão IEEE 802.16E – ainda não conta com a normatização da entidade internacional, o WiMAX Fórum.

A certificação do WiMAX fixo virá em uma adaptação de uma norma já existente – a de nº 368 – que trata das tecnologias ponto a ponto; ponto/multiponto. A mudança mais importante é que ela irá incluir a modulação OFDM.

Anterior RTX lança sistema de rede IP sem fio
Próximos Brasil recebe IMS Expert Center da Ericsson