Watch Brasil e UOL lançam OTT de vídeo


A plataforma de streaming Watch Brasil será a fornecedora da tecnologia por traz do app UOL Play, lançado hoje, 28. A nova OTT do mercado vai concorrer com iniciativas semelhantes das operadoras (Claro Video, Oi Play, Vivo Play), Glopoplay, além de Netflix, Amazon Prime Video, e Looke.

A assinatura mensal do UOL Play custa a partir de R$ 15,90 e dá acesso a canais lineares, como Sony Pictures, Paramount+, MTV, Comedy Central, Nickelodeon e ao aplicativo infantil Noggin, da Nick Jr.

PUBLICIDADE

O UOL Play também contém opção de aluguel de filmes e disponibiliza aos seus assinantes o acesso ilimitado a diversos canais, entre eles, ESPN, ESPN 2, ESPN Brasil e ESPN Extra.

Além dos vídeos, o app traz recursos de machine learning e business analytics para melhorar a experiência de usuários, compreendendo seus gostos.

Para o cofundador da Watch Brasil, a entrada da UOL no segmento de streaming como um agregador de canais é a tendência. “Acreditamos que os usuários não vão querer ter dezenas de assinaturas de streaming, ao contrário, vão preferir concentrar tudo em um único local e é essa a proposta do UOL Play”, afirma Maurício Almeida.

A plataforma tem parcerias com estúdios como Sony Pictures, Paramount+ eVIACOM, Warner e UNIVERSAL. A empresa também mira em outros grandes estúdios. “Estamos em negociações avançadas com a Vubiquity, que representa DISNEY, BBC entre outros”, comenta o Almeida.

ISPs

A Watch Brasil vinha sendo usada por ISPs no mercado local, para a oferta de conteúdo em vídeo no lugar de TV por assinatura. Com o UOL, a proposta é diferente, “um novo modelo de parceria de tecnologia e streaming”, diz Almeida.

A Watch Brasil foi criada há um ano, com investimentos de US$ 2,5 milhões. Cresceu 40% a mais do que o planejado em número de clientes (ISPs) nacionalmente, chegando a 190 contratos com provedores de banda larga fixa. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Anatel pede ao TCU mais 120 dias para concluir o levantamento dos bens reversíveis
Próximos Barbato: A Indústria Elétrica e Eletrônica em meio à pandemia do novo coronavírus