VU-M: Justiça vai fazer o que Anatel não faz, diz GVT.


A GVT vai aguardar a decisão da Justiça Federal de Brasília sobre o reajuste da tarifa de interconexão (VU-M) com operadoras móveis. A companhia, por enquanto, continuará depositando o valor da diferença da tarifa em juízo, desconhecendo, portanto, a decisão da Anatel anunciada em setembro, de aumentar a tarifa em 4,5%, como reivindicava a Vivo. …

A GVT vai aguardar a decisão da Justiça Federal de Brasília sobre o reajuste da tarifa de interconexão (VU-M) com operadoras móveis. A companhia, por enquanto, continuará depositando o valor da diferença da tarifa em juízo, desconhecendo, portanto, a decisão da Anatel anunciada em setembro, de aumentar a tarifa em 4,5%, como reivindicava a Vivo. “Esperamos que a justiça faça o que a agência não quer fazer”, disse Gustavo Gachineiro, vice-presidente.

O juiz determinou a realização de uma perícia para analisar os custos da tarifa, depois de duas audiências frustradas de conciliação entre a GVT e operadoras móveis. Na opinião de Gachineiro a análise independente da tarifa facilitará a decisão do juiz, além de destacar o que a empresa já sabe, que ela está descolada dos custos, e que sua manutenção se reverte em irregularidade.

Outra decisão da empresa é continuar a implantação do próprio backbone, de forma a depender menos de interconexões. Atualmente a rede da GVT é responsável por 69% do seu tráfego, percentual que pretende elevar para 79%, em 2010.

Anterior GVT não tem planos para a banda larga popular
Próximos Via Embratel transmite novos canais