Vrio, dona da Sky, perde receita no terceiro trimestre


A Vrio, empresa do grupo AT&T e que reúne as operadoras de TV paga Sky e Directv na América Latina, inclusive Brasil, registrou queda no EBTDA no segundo trimestre do ano, quando comparado ao mesmo período de 2017. O lucro antes de impostos e amortizações somou US$ 225 milhões, enquanto a receita ficou em US$ 1,10 bilhão. Um ano antes, o EBITDA era de US$ 288 milhões, e a receita, de US$ 1,36 bilhão. Ou seja, houve retração de 19,1% nas receitas, e de 21,8% no EBITDA.

Os executivos da AT&T explicaram ontem, 24, durante conferência com analistas, que a retração está ligada, principalmente às desvalorização das moedas locais em relação ao Dólar na América Latina. Em quantidade de usuários, houve ganho de acessos. Foram adicionados 150 mil novos assinantes à base em relação a setembro de 2017, e perda de pouco mais de 100 mil acessos sobre junho deste ano. Apenas no Brasil aconteceu ganho de assinantes.

AT&T na região

A AT&T tem também empresas de telecom e mídia na região que não estão sob o guarda-chuva da Vrio. Somados todos os negócios na América Latina, a AT&T registrou receita de US$ 1,8 bilhão, 12,7% menos que um ano antes. E houve prejuízo operacional de US$ 210 milhões, comparado à perda de US$ 142 milhões no terceiro trimestre de 2017. Novamente, a desvalorização das moedas locais desempenharam papel importante nos números.

Já o grupo AT&T como um todo, obteve resultados bem melhores. A companhia norte americana registrou receitas no terceiro trimestre de US$ 45,7 bilhões, 15,3% maiores que um ano atrás. O número reflete a fusão das empresas de mídia Time Warner, comprada recentemente. O lucro líquido da holding foi de US$ 4,7 bilhões, ante US$ 3 bilhões no mesmo período de 2017 – mais uma vez, refletindo a incorporação dos dados da Time Warner ao balanço.

Anterior Audiovisual brasileiro ocupa 17,7% da programação da TV paga em 2017
Próximos Anatel vai decidir cap de frequência no dia 1 de novembro, para alívio da Nextel