Votação da TV pública segue durante a noite


 Até o fechamento desta edição, os deputados continuavam votando os destaques apresentados  à Medida Provisória da TV pública, cujo projeto de conversão  foi apresentado pelo deputado Walter Pinheiro (PT/BA). Durante o dia, as emendas que fizeram parte do acordo partidário foram aprovadas rapidamente – entre elas, a que estabelece que a sede da empresa será …

 Até o fechamento desta edição, os deputados continuavam votando os destaques apresentados  à Medida Provisória da TV pública, cujo projeto de conversão  foi apresentado pelo deputado Walter Pinheiro (PT/BA).

Durante o dia, as emendas que fizeram parte do acordo partidário foram aprovadas rapidamente – entre elas, a que estabelece que a sede da empresa será em Brasília. Mas as demais emendas têm que ser aprovadas ou rejeitadas por voto nominal de cada parlamentar presente no plenário da Casa, o que provoca um processo de votação muito lento.

Depois de mais de quatro horas de discussão as seguintes emendas foram analisadas:

A emenda do DEM, que impedia a TV Brasil de fazer contratos com dispensa de licitação, foi derrubada.
A emenda do deputado Paulo Renato Souza (PSDB/SP) que determina a TV pública a divulgar anualmente a lista de empregados e prestadores de serviços, foi aprovada.
A emenda do PSDB que proibia a TV pública de veicular nomes símbolos e imagens que caracterizem promoção pessoal ou partidária de autoridades, foi rejeitada.
A emenda do PPS, que incluia uma lista de 15 entidades da sociedade que passariam a fazer parte do conselho curador, também foi rejeitada.  
( Da Redação, com Agência Câmara )

Anterior IBM destina US$ 15 bi para recomprar ações
Próximos Câmara aprova TV pública com dinheiro do Fistel