VoIP: Hip Telecom assume clientes da Primeira Escolha. E busca novas parcerias.


A Hip Telecom confirmou seu potencial de agressividade no mercado VoIP e assumiu a base de clientes da Primeira Escolha, empresa que mudou de foco e desistiu desse segmento. Por motivos estratégicos , a empresa não revela o tamanho dessa base adquirida, mas fontes do mercado estimam algo entre 3 mil e 5 mil clientes.  Estes …

A Hip Telecom confirmou seu potencial de agressividade no mercado VoIP e assumiu a base de clientes da Primeira Escolha, empresa que mudou de foco e desistiu desse segmento. Por motivos estratégicos , a empresa não revela o tamanho dessa base adquirida, mas fontes do mercado estimam algo entre 3 mil e 5 mil clientes.  Estes vão se somar aos cerca de 12 mil usuários da Hip, a maioria PMEs (pequenas e médias empresas). “Não há dados que comprovem, mas, provavelmente, somos a maior empresa de VoIP do Brasil”, acredita Paulo Humberg, presidente da companhia, que falou hoje, 9, com o Tele.Síntese.

E o apetite da Hip não deve parar por aí. “Estamos abertos a outras empresas que queiram fazer o mesmo. Ou, ainda, a empresas que queiram representar a Hip. Não temos modelo de negócios pronto, mas podemos conversar”, adianta Humberg. Os clientes da Primeira Escolha terão mantidos seus créditos antigos e, como as tarifas da Hip são até 20% menores, poderão inclusive ganhar minutos extras. O acordo não envolve a venda de nenhum ativo da Primeira Escolha.

O ATA (equipamento que conecta um telefone comum à rede VoIP), usado pelos assinantes da Primeira Escolha, é compatível com o sistema da Hip Telecom e não precisará ser substituído. Ambas operadoras escolheram a Net2Phone como plataforma tecnológica. Já o número para recebimento de chamadas será alterado e, durante um período de transição, as ligações serão automaticamente transferidas para o novo número Hip.

Segundo a Hip Telecom, seus preços podem reduzir em até 90% as ligações quando comparados à telefonia tradicional. Humberg acredita que, este ano, o faturamento do segmento (todas as operadoras VoIP juntas) será de R$ 900 milhões, incluído aí o Skype.

Anterior Transit em Londrina
Próximos O Brasil precisa de banda larga para se desenvolver