Vodafone reavalia uso de equipamentos Huawei


Tele vai suspender instalação de aparelhos da Huawei no núcleo de rede em diversos países. Mas diz que vai continuar usando os equipamentos da chinesa nas redes móveis.

A operadora europeia Vodafone está reavaliando o uso de equipamentos da Huawei. A tele suspendeu o uso de dispositivos da fabricante chinesa no núcleo de rede em quase todas as unidades no velho continente. Mas diz que um banimento completo da fornecedora seria danoso à implementação do 5G na região, no entanto.

O CEO da Vodafone, Nick Read, disse que a suspensão se deve ao “ruído” crescente sobre a Huawei na imprensa e entre políticos. Afirma que a medida ainda não foi conversada com autoridades. Por isso, pretende continuar recorrendo à Huawei nas redes móveis.

A seu ver, atualmente há um clima de incerteza e o tom acerca do que anda de fato acontecendo precisa baixar, para que haja uma conversa mais estruturada e baseada em fatos, não em emoções. “O nível de ruído atingiu níveis insalubres em toda a Europa”, disse.

Ele disse que a suspensão envolve uma parcela pequena de equipamentos da Huawei usados na operadora, e que entre os países afetados, estaria a Espanha, mas não o Reino Unido. A empresa tem subsidiárias em 9 países do bloco. O executivo defendeu que as empresas e os políticos adotem uma postura “holística” sobre a questão, e lembrou que os principais concorrentes da Huawei, Ericsson e Nokia, também têm laboratórios na China.

O executivo fez as observações durante coletiva de imprensa para divulgação dos resultados da Vodafone no último trimestre. O grupo registrou receitas de € 11 bilhões (equivalente a seu terceiro trimestre fiscal para 2018), 6,8% menor que um ano antes devido, diz a companhia, a mudanças nos padrões de contabilidade, venda de ativos no Qatar, variações cambiais e aumento da competição dentro da Europa. (Com agências internacionais)

Anterior América Móvil compra operações da Telefónica em El Salvador e Guatemala
Próximos Facebook quer unificar infraestrutura por trás de WhatsApp, Instagram e Messenger